A Síndrome do Comer Noturno

Sabe aqueles ataques à geladeira durante a noite? Eles são o início de uma síndrome que tem sido muito estudada por especialistas.

 

Embora seja difícil acreditar que um ataque noturno à geladeira
possa causar dependência, o fato é que pode. Principalmente se a
vontade for permanente. Imagine você todas as noites levantando
como um sonâmbulo e planejando o ataque noturno? A Síndrome do
Comer Noturno (SCN) é um dos transtornos alimentares (como a
bulimia nervosa e a compulsão alimentar periódica) que pode ser
encontrado em pacientes obesos. Tal como os outros transtornos
alimentares, ele pode ser responsável pela dificuldade que alguns
pacientes tem em aderir ao tratamento e atingir um peso ideal.

Apesar deste diagnóstico ainda não ser totalmente aceito por
endocrinologistas e psiquiatras, os pacientes com esta síndrome
apresentam um comportamento alimentar característico e, muitas
vezes, impressionante.

O primeiro caso foi descrito em 1955 e é uma história interessante. O Dr. Albert Stunkard, um dos maiores estudiosos no
TCAP, estava tratando de uma paciente obesa com graves problemas familiares, o que estava dificultando muito o seu tratamento. Ao
discutir o caso com um grupo de estudantes, uma das jovens presentes, obesa, se levantou e, chorando muito, retirou-se da
sessão.

O Dr. Stunkard foi imediatamente atrás para saber o que estava
acontecendo. A jovem então lhe disse que aquilo nada tinha a ver
com os problemas familiares relatados pela paciente. Tinha a ver
com a maneira como a paciente comia. Ela não sentia fome alguma
durante toda a manhã. Porém quando chegava a noite, ela
simplesmente não conseguia parar de comer. O jantar nunca era o
suficiente e depois ela continuava comendo sem parar. Chegava a
acordar várias vezes durante a noite só para comer. A estudante
então disse: “É exatamente assim que eu como e eu nunca tinha
ouvido nenhum relato semelhante em toda a minha vida”.

O Dr. Stunkard ficou tão impressionado com o relato que começou a
pesquisar os mesmos sintomas em outros pacientes obesos. Após a
identificação dos sintomas característicos, ele a descreveu como a
Síndrome do Comer Noturno.

Após vários estudos, recrutando pacientes por jornais ou em
clínicas para emagrecimento, ele, e outros autores, chegaram a
algumas conclusões:

1 – A freqüência da SCN variou de 1.5% na população geral, passando por 9.0% em clínicas para tratamento da obesidade, e
chegou a 26.0% em pacientes com obesidade mórbida;

2 – Os pacientes com SCN geralmente comem mais de 55% das calorias totais de um dia entre as 20:00hrs e 06:00hrs;

3 – Eles acordam várias vezes durante a noite, mais de metade das vezes apenas para comer e iv – apresentam uma piora importante do
humor durante a noite.

Portanto, a SCN é uma combinação única de um transtorno alimentar, uma desordem do sono e uma desordem do humor. É caracterizada por anorexia matinal (total falta de apetite pela manhã), hiperfagia noturna (grande ingesta de comida durante a noite) e insônia.

Apesar de não ser totalmente aceito como diagnóstico, é um comportamento que traz grande sofrimento aos pacientes e até mesmo
aos médicos que os tratam. Embora não exista um tratamento específico, inúmeras abordagens, inclusive farmacológicas, podem
ser tentadas para tentar trazer algum alívio para o paciente.

Por Rodrigo Moreira e Mariana Monteiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: