Você comeria? “Quitutes macabros” criados por artista tailandês têm visam a percepção da ilusão

É pão! Mas você comeria?  Trata-se de uma padaria da Tailândia , na província de Ratchaburi. Localizada a 100 km a oeste de Bangkok, na padaria é possível encontrar “partes humanas” feitas de pão, mas com grande realismo, estocados em prateleiras e pendurads em ganchos de carne. O lugar é macabro, parecendo um  mortuário, ou o lar de um serial killer. Mas na verdade é um negócio familiar.

No país mais budista do mundo, parecem querer difundir o pensamento religioso de não acreditar no que se vê, porque o que se vê, pode não ser tão real quanto parece.  Os detalhes fazem a perfeição da criação, parecendo quase real.

A idéia é do estudante de artes de 28 anos Kittiwat Unarrom. “Claro, as pessoas ficaram chocadas e pensaram que eu estava louco quando eles viram os trabalhos. Mas uma vez que eles souberam a idéia por trás disso, então entenderam e tornaram-se interessados no trabalho em si”, disse o graduando em artes plásticas.

Ainda antes da formação em artes, Kittiwat começou pintando retratos. Ele então mudou para artes mistas, e finalmente, massa – um meio natural para ele já que a família dirige uma padaria. Ele usa livros de anatomia e sua vivida memória da visita a um museu forense para criar as partes humanas. As representações corporais no corpo não se restringem a uma ou outra parte do corpo: Ele faz pés, mãos, e órgãos internos, em diferentes “estados de  decomposição”, que vêm exibidos impalados em ganchos. Feitos de massa, passas, castanhas de caju, e chocolate, todos os trabalhos em  exibição são totalmente comestíveis.

“Quando as pessoas veem o pão, elas não querem comê-lo. Mas quando elas o provam é só pão normal”, diz Kittiwat. “A lição é: não julgue pelas aparências externas”.

Feito originalmente como parte de sua tese de graduação em Artes Plásticas pela Universidade de sIlpakorn, as partes do corpo de pão e seu criador tornaram-se internacionalmente conhecidos, com menção em vários websites e blogs.

Kittiwat no momento trabalha em sua primeira mostra pública marcada para Novembro em Siam Square, em Bankok, e promovida pela Universidade Silpakorn de Bankok. É sua dissertação final, e ele espera com isso assegurar sua graduação em artes.

Human Bread

He uses anatomy books and his vivid memories of visiting a forensics museum to create the human parts.

TRADUÇÃO, ADAPTAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA MATÉRIA: Arnaldo V. Carvalho

FONTES: http://shapeandcolour.wordpress.com/2008/05/15/kittiwat-unarrom-body-bakery/

http://fatlace.com/stayfresh/boohi/2009/02/12/butter-face-ratchaburi-bakery/

http://bangkokdaytours.com/QuirkyThailand/Human-Bread.html

http://www.dennh.com/thailand/humanbread.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s