Archive for março, 2011

Nova edição do curso Fundamentos da Aromaterapia, com Arnaldo V. Carvalho (em Niterói, RJ) (via Aromatologia e Aromaterapia)

Nova edição do curso Fundamentos da Aromaterapia, com Arnaldo V. Carvalho (em Niterói, RJ)

via Aromatologia e Aromaterapia

Leave a comment »

O que seria um tratamento com Florais de Bach?

O que seria um tratamento floral?


Luiz Eduardo Parreiras

 

A Terapia floral, que se traduz por cura pelas flores, é uma terapia que utiliza essências florais como um veículo para modificar um estado do ser. O sistema das essências florais é um método simples e natural de estabelecer o completo equilíbrio e harmonia da personalidade através das flores silvestres.

Embora o mecanismo de sua ação não tenha sido inteiramente compreendido, muita pesquisa tem sido feita com as essências florais. O médico Richard Gerber em seu livro Medicina Vibracional, mostra claramente que as doenças físicas e emocionais podem ser curadas equilibrando-se nossos corpos de energia sutil: etérico, astral, emocional, mental, espiritual, com as energias superiores. As essências florais limpam a aura e os corpos sutis para que os desequilíbrios não causem doenças. Limpam as crenças negativas, os condicionamentos, as formas – pensamento que nos envenenam, desequilibram e desviam do nosso verdadeiro caminho, religando – nos com o nosso Eu Superior que nos protege e orienta.

O médico inglês Edward Bach, descobridor do poder de cura das essências extraídas principalmente de flores silvestres, fez a seguinte afirmação há mais de 50 anos: ” A doença é única e puramente corretiva ; nem vingativa nem cruel , é o meio adotado pelas nossas próprias almas para mostrar-nos os nossos erros , impedir-nos de cometermos erros maiores , obstar a que façamos mais mal e trazer-nos de volta ao caminho da verdade e da luz , do qual nunca deveríamos ter saído. ”

Edward Bach considerava o mal físico nada mais do que a cristalização de uma atitude mental, devendo-se tratar a personalidade do paciente e não a doença em si. Para ele a doença era energética e não material, uma vez curada a atitude mental a doença desaparecia. Neste sentido, considerava a doença como uma dissociação entre a personalidade e a alma – curadas as desarmonias espirituais, as físicas desapareciam.

Para o Dr. Bach, a harmonia entre a personalidade e a alma era essencial para que o ser humano vivesse em paz, com alegria e saúde. Ele estava, portanto, á procura de uma terapêutica que se preocupasse com o estado espiritual dos pacientes, o que nem a medicina alopática nem a homeopática alcançavam.

Primeiro Dr. Bach tratou a si próprio com a energia das flores para se libertar dos sentimentos negativos que habitavam sua alma. Este foi o fator determinante na criação de sua terapia floral: através da utilização da energia essencial – energia sutil – de principalmente algumas flores silvestres, ou seja, aquelas que cresciam sem a interferência do ser humano, chegou ao método terapêutico simples e natural de estabelecer o completo equilíbrio e harmonia da personalidade através das flores.

Os remédios florais do Dr. Bach figuram entre os métodos “sutis” de cura, semelhantes à homeopatia clássica de Samuel Hahnemann, à medicina antroposófica e à medicina espagírica ou herbácea. Eles não atuam pelo caminho indireto, via corpo físico, mas em níveis mais sutis, que influem diretamente no sistema de energia que é o homem.

Antes de desenvolver seus Remédios Florais, Edward Bach, bacharel em medicina, bacharel em cirurgia, ciências, diplomado em saúde publica, era um bacteriologista e médico homeopata de grande sucesso. Ele sentia ter um elo espiritual, entre outros, com Hipócrates, Paracelso, e Samuel Hahnemann, partilhando-lhes da concepção de que “Não existem doenças, existem doentes”.

A concepção filosófica de Edward Bach é uma concepção universal da alma. Todos estamos imersos numa força vital: Deus, Universo, Natureza Superior, Força Criadora, Principio Universal da Vida que nos rodeia, que pertence a nós e que nos constitui.

Em cada um de nós a dois elementos, disse Bach, a Alma, que é a nossa essência, o nosso núcleo, e que é imortal, por fazer parte dessa energia universal, e a nossa Personalidade, que é temporal e material. Ambos têm de estar em harmonia. Este é um conceito holístico do ser humano, que é, neste planeta, apenas uma parte do conceito mais amplo da criação.

A alma sabe para o que cada um de nós veio a este mundo, e sabe que “não é apenas para comer, para beber, para dormir, para fazer sexo e para possuir bens”. Se a personalidade não esta ligada a esse “conhecimento”, ela atuará de forma errônea quanto a essa unicidade ou harmonia.

Se a personalidade não aceitar a existência da alma, a pessoa apresentará certo desequilíbrio, certa dissociação, podendo chegar a ter sérios comprometimentos.

Quando surge um conflito entre as intenções da alma e a da personalidade, dentro de certa qualidade da alma ou potencial de energia, o comprimento de onda no campo de energia, deformado, se desarmoniza e se desacelera. Tal deformação terá efeito negativo sobre toda a psique da pessoa, e, como diz Edward Bach, a partir daí, se desenvolve um estado negativo da mente e da alma.

Como atua um floral numa situação dessas?

O remédio floral tem a mesma frequência de energia harmoniosa da qualidade correspondente da alma humana, mas, nesse caso, sem deformação e em ritmo normal. Tem, portanto, afinidade com a qualidade da alma humana, pode estabelecer contato com ela, e, com suas próprias ondas harmoniosas de frequência, restabelecer a harmonia da alma.

Os remédios florais do Dr. Bach entram em contato direto com o Eu Superior do homem. Isso também explica porque são compatíveis com praticamente todos os outros medicamentos e tratamentos, cuja ação se limita a determinados níveis de energia, geralmente o do corpo físico. As flores do Dr. Bach atuam como impulsos divinos de energia, através de todos os níveis de energia.

A energia que se encontra nas essências florais e que é obtida dos gomos florais de flores silvestres mostra como descobrir o caminho e, em vez de lutar contra um estado negativo, nos ensina a supera-lo, fortalecendo e estimulando a qualidade positiva que cada um de nós tem dentro de si.

Não há cura real, a menos que haja uma mudança na perspectiva com a qual o homem vê o mundo, permitindo que ele alcance a paz e a felicidade interior.

Essa nova orientação da medicina que ajuda o corpo a mobilizar suas capacidades de cura interior, difere do conceito da pílula tranqüilizante, que causa o relaxamento nos primeiros 15 a 30 minutos. Esse efeito durará de 6 a 8 horas, e depois ressurgirá o estado emocional que existia antes.

Os florais de Bach, ao contrario, se escolhidos e tomados corretamente pelo tempo suficiente, têm um efeito profundo e duradouro. Alguns atuam mais rapidamente do que os outros, dependendo de cada pessoa, e ajudam a resolver conflitos com raízes profundas em oposição á dissimulação dos sintomas. Eles podem ajudar a modificar situações arraigadas há anos e que ás vezes são difíceis de eliminar, mesmo com ajuda psicológica.

 

Comments (2) »

Fabrício Licursi compartilha reflexões sobre corpo, expressão e movimento de escolas internacionais em Workshop Único

CORPO RASTRO.

Prática de Encontro com a Dança-Teatro

 

Disponibilizar a Escuta e Percepção do Corpo para o Movimento através da prática do “Body Water” e do “Floating” presentes no Gaga Dance (Batsheva Dance Company-Israel).

Investigar o Movimento através de seqüencias presentes na Arte Marcial Kung Fu.

Refletir em Movimento com estas práticas corpóreas que envolvem a percepção do Fluxo Energético do Corpo, do perder e ganhar Energia e das Densidades e Levezas presentes no Sistema Orgânico do Corpo Humano.

Mais do que uma técnica ou uma forma de linguagem estabelecida procura proporcionar ao participante o estudo sobre a sua Organicidade, sobre a Presença Cênica e a Arquitetura do Movimento.

 

 

Datas: 02 e 03 de Abril de 2011

Horário: das 10h às 14h

Local: Espaço (Rua Alves Guimarães 1374 próximo ao metro Sumaré)

 

Investimento: 140,00

Vagas Limitadas.

Reserva de vaga: R$ 40,00 em Depósito ou no Local.

Restante do Valor (R$ 100,00) pago no 1˚ dia do curso na Secretaria

Informações pelo tel: 3862 4049 (de 2ª à 6ª …. / 2ª e 3ª

pelo email: informativoespaco@gmail.com

 

Fabricio Licursi é formado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Entre 2002 e 2007, como ator, trabalhou com os diretores: Verônica Fabrini, Márcio Tadeu, Marcelo Lazzaratto, Grácia Navarro e Márcio Aurélio

Em 2009, pela Cia. Lazzo, atua no espetáculo Réquiem (de Hanoch Levin) dirigido por Francisco Medeiros. E em 2010 realiza a preparação corporal dos atores da peça Os Passageiros, também, dirigida por Francisco Medeiros.

Integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI-SP.

Em 2007, atua no Projeto CAMINHOS dirigido por Cristiane Paoli Quito, é introduzido à linguagem Nova Dança, com a preparação corporal de Alex Ratton e Tarina Quelho(BMC – Body Mind Centering).

A partir dai trilhou o caminho através de workshops e aulas regulares com profissionais brasileiros. Entre eles: Eleonora Fabião, Lu Favoreto, Tica Lemos, Juliana Moraes e Daniel Lepkof (USA)

Em 2008 participa do Núcleo Hana, com a Peça “Oversized”, dirigida pela diretora japonesa Alice K – pesquisando os princípios de movimento desenvolvidos pela bailarina japonesa Anzu Furukawa.

De abril a julho de 2010 integrou o Programa Berlin Post School for Physical Theater-Dance realizado pela Cia. KIM (Kosmos in Movement – http://www.physicaltheater.net/berlin-post-school.html ) em parceria com o espaço cultural TanzFabrik (Berlin-Alemanha).

Deste processo cria o solo “Na Avenida” em que pesquisa o diálogo entre a dança/movimento, os princípios da máscara do clown e a respiração (fluxo de energia Ki).

Links na web:

Vídeo de inscrição para Berlin Post School: Faberlin

 

Comments (1) »

Arnaldo V. Carvalho responde a perguntas particulares sobre a Associação Brasileira de Shiatsu (em formação) (via Arnaldo V. Carvalho)

Um praticante de Shiatsu experiente e muito interessado me fez perguntas diretas sobre a associação. Aqui foram as respostas que dei a ele. Não divulgo o nome porque não pedi autorização, apenas aproveito que as perguntas devem interessar a todos e divulgo as respostas. Foram omitidas pelo mesmo motivo informações que possam indicar localização do praticante ou qualquer forma de identifica-lo. Abraços. Arnaldo Ah, você vai fundar uma associação d … Read More

via Arnaldo V. Carvalho

Leave a comment »

Grupo: Maturidade, Perdas e Ganhos – coordenação Maria Amélia Seixas GRATUITO

Grupo Maturidade / Perdas e Ganhos

https://i1.wp.com/img.blogcu.com/uploads/1sessizgemi3_yalnizlik_krd.JPG

 

Este é um grupo direcionado à mulheres  maduras (acima de 50 anos), com o objetivo de lermos e discutirmos o livro  ”Perdas e Ganhos”  de Lya Luft . A partir desta leitura conversaremos sobre as angustias e alegrias, dúvidas e medos  decorrentes das perdas e dos ganhos  ocorridos nesta fase da vida em que não temos tantas ilusões, mas temos a tranqüilidade para enfrentar e aceitar o que não pode ser mudado.

Coordenação : Maria Amélia Seixas

Local : Rua Lopes Trovão, 52 sala 504- Icaraí

Informações : 2610-1023  /  88766342

Leave a comment »

Conheça a Fasciaterapia

FASCIATERAPIA

 

Descoberta há 20 anos pelo francês Danis Bois, a fasciaterapia desenvolveu-se rapidamente em países como a França, Suíça e Canadá. No Brasil, o método vem conquistando novos adeptos. Atualmente, já existem várias especialidades dentro da técnica: fasciaterapia esportiva, voltada para o tratamento do câncer, AIDS e esterilidade feminina.

Uma sessão de fasciaterapia dura em média uma hora e é dividia em três partes. Na primeira, o terapeuta conhece as queixas do paciente. Depois são aplicadas massagens na coluna, costas, ombros, pescoço e rosto, para aliviar tensões superficiais.

A terceira parte é a fasciaterapia propriamente dita, onde o terapeuta coloca suas mãos sobre o local da dor, vitalizando o organismo. O resultado é o alívio das dores sensação de calma e bem-estar. A técnica é aconselhada para atletas que sofrem contusões musculares, pessoas com baixa imunidade no organismo e tecidos traumatizados.

 

*   *   *

 

Portal Verde desconhece a autoria desse artigo. Caso você conheça a autoria ou considere indevida a publicação, por favor entre em contato.

Leave a comment »

Integração corpo e mente na origem das academias

Integração corpo e mente na origem das academias

 

Hoje em dia, o culto ao corpo tem levado milhares de pessoas a se matricularem em academias no intuito de modelarem seus físicos de acordo com as exigências da mídia. Homens e mulheres com corpos esculturais desfilam para cima e para baixo na televisão, ora em grupos de pagode e axé music, ora em novelas, sem falar das revistas e do cinema.

Principalmente quando vem chegando o verão(isso até parece música), a galera fica indócil, precisa malhar para entrar em forma. Afinal de contas, não dá para pagar mico na praia ou na piscina com aquela barriguinha, aqueles pneuzinhos, ou ainda, com aquele culote, o bumbum fica caído, ou um aspecto meio raquítico. O negócio é ficar sarado.

A verdade é que as pessoas estão ficando cada vez mais exigentes com a aparência. Será futilidade? Ou as coisas estão realmente mudando?

Uma coisa é certa, o radicalismo, seja ele qual for, é extremamente prejudicial. Geralmente quem só pensa em malhar deixa a desejar em outros assuntos que requeiram o uso do intelecto e, por sua vez, quem vive com a cara enfiada em livros ou estudos tende a negligenciar a parte física. O ideal seria usar a conjugação dos dois. Mas como isso é possível? A solução estaria num local onde as pessoas pudessem fazer as duas coisas, ou seja, cuidar da mente e do corpo simultaneamente, como aquele velho ditado: mens sana in corpore sano.

Academia é uma palavra que surgiu no século V a.C. O termo se originou de Academos, herói grego que emprestava seu nome a um bosque onde Platão construiu sua escola. Lá, ensinavam-se filosofia, matemática e ginástica, embora ensinar talvez não seja a melhor palavra nesse contexto. Isto porque também na academia de Platão o diálogo vivo era o que mais importava. Assim, não é por acaso que o diálogo foi a forma escolhida por Platão para registrar por escrito sua filosofia.

Foi no ano de 399a.C. aos 28-29 anos que Platão perdeu seu grande orientador, Sócrates, obrigado pela sociedade ateniense a beber cicuta, suicidando-se. No entanto, o filósofo ao perder um mestre ganha outro, Saturno, o deus/planeta do amadurecimento e da busca do conhecimento por si mesmo, pela experiência pelo tempo. É justamente neste período que vivenciamos o “retorno de Saturno”, ou seja, a época no momento do nascimento. Como nos assevera Stephen Arroyo:

O primeiro ciclo de Saturno através do horóscopo de nascimento durante aproximadamente os primeiros vinte e nove anos da vida é antes do mais, baseado na reação ao condicionalismo do passado, ao karma, às influências dos pais e às pressões sociais. Durante este período da vida, as pessoas são regra geral, bastante inconscientes de quem e do que são fundamentalmente. Mas depois, com o primeiro regresso de Saturno, é muitas vezes, como se uma velha dívida fosse paga e muitos velhos modelos e obrigações kármicas fossem subitamente removidos. Nesta altura, pode-se experimentar um estado de ser profundamente complexo; trata-se, na verdade, ao mesmo tempo, de um sentimento de limitação inalterável na estrutura da vida, e de um sentimento de liberdade interior que, em muitos casos é acompanhado por uma alegria inspiradora e grande exuberância.

 

***

 

Portal Verde desconhece a autoria desse artigo. Caso você conheça a autoria ou considere indevida a publicação, por favor entre em contato.

Leave a comment »

%d blogueiros gostam disto: