O que seria um tratamento com Florais de Bach?

O que seria um tratamento floral?


Luiz Eduardo Parreiras

 

A Terapia floral, que se traduz por cura pelas flores, é uma terapia que utiliza essências florais como um veículo para modificar um estado do ser. O sistema das essências florais é um método simples e natural de estabelecer o completo equilíbrio e harmonia da personalidade através das flores silvestres.

Embora o mecanismo de sua ação não tenha sido inteiramente compreendido, muita pesquisa tem sido feita com as essências florais. O médico Richard Gerber em seu livro Medicina Vibracional, mostra claramente que as doenças físicas e emocionais podem ser curadas equilibrando-se nossos corpos de energia sutil: etérico, astral, emocional, mental, espiritual, com as energias superiores. As essências florais limpam a aura e os corpos sutis para que os desequilíbrios não causem doenças. Limpam as crenças negativas, os condicionamentos, as formas – pensamento que nos envenenam, desequilibram e desviam do nosso verdadeiro caminho, religando – nos com o nosso Eu Superior que nos protege e orienta.

O médico inglês Edward Bach, descobridor do poder de cura das essências extraídas principalmente de flores silvestres, fez a seguinte afirmação há mais de 50 anos: ” A doença é única e puramente corretiva ; nem vingativa nem cruel , é o meio adotado pelas nossas próprias almas para mostrar-nos os nossos erros , impedir-nos de cometermos erros maiores , obstar a que façamos mais mal e trazer-nos de volta ao caminho da verdade e da luz , do qual nunca deveríamos ter saído. ”

Edward Bach considerava o mal físico nada mais do que a cristalização de uma atitude mental, devendo-se tratar a personalidade do paciente e não a doença em si. Para ele a doença era energética e não material, uma vez curada a atitude mental a doença desaparecia. Neste sentido, considerava a doença como uma dissociação entre a personalidade e a alma – curadas as desarmonias espirituais, as físicas desapareciam.

Para o Dr. Bach, a harmonia entre a personalidade e a alma era essencial para que o ser humano vivesse em paz, com alegria e saúde. Ele estava, portanto, á procura de uma terapêutica que se preocupasse com o estado espiritual dos pacientes, o que nem a medicina alopática nem a homeopática alcançavam.

Primeiro Dr. Bach tratou a si próprio com a energia das flores para se libertar dos sentimentos negativos que habitavam sua alma. Este foi o fator determinante na criação de sua terapia floral: através da utilização da energia essencial – energia sutil – de principalmente algumas flores silvestres, ou seja, aquelas que cresciam sem a interferência do ser humano, chegou ao método terapêutico simples e natural de estabelecer o completo equilíbrio e harmonia da personalidade através das flores.

Os remédios florais do Dr. Bach figuram entre os métodos “sutis” de cura, semelhantes à homeopatia clássica de Samuel Hahnemann, à medicina antroposófica e à medicina espagírica ou herbácea. Eles não atuam pelo caminho indireto, via corpo físico, mas em níveis mais sutis, que influem diretamente no sistema de energia que é o homem.

Antes de desenvolver seus Remédios Florais, Edward Bach, bacharel em medicina, bacharel em cirurgia, ciências, diplomado em saúde publica, era um bacteriologista e médico homeopata de grande sucesso. Ele sentia ter um elo espiritual, entre outros, com Hipócrates, Paracelso, e Samuel Hahnemann, partilhando-lhes da concepção de que “Não existem doenças, existem doentes”.

A concepção filosófica de Edward Bach é uma concepção universal da alma. Todos estamos imersos numa força vital: Deus, Universo, Natureza Superior, Força Criadora, Principio Universal da Vida que nos rodeia, que pertence a nós e que nos constitui.

Em cada um de nós a dois elementos, disse Bach, a Alma, que é a nossa essência, o nosso núcleo, e que é imortal, por fazer parte dessa energia universal, e a nossa Personalidade, que é temporal e material. Ambos têm de estar em harmonia. Este é um conceito holístico do ser humano, que é, neste planeta, apenas uma parte do conceito mais amplo da criação.

A alma sabe para o que cada um de nós veio a este mundo, e sabe que “não é apenas para comer, para beber, para dormir, para fazer sexo e para possuir bens”. Se a personalidade não esta ligada a esse “conhecimento”, ela atuará de forma errônea quanto a essa unicidade ou harmonia.

Se a personalidade não aceitar a existência da alma, a pessoa apresentará certo desequilíbrio, certa dissociação, podendo chegar a ter sérios comprometimentos.

Quando surge um conflito entre as intenções da alma e a da personalidade, dentro de certa qualidade da alma ou potencial de energia, o comprimento de onda no campo de energia, deformado, se desarmoniza e se desacelera. Tal deformação terá efeito negativo sobre toda a psique da pessoa, e, como diz Edward Bach, a partir daí, se desenvolve um estado negativo da mente e da alma.

Como atua um floral numa situação dessas?

O remédio floral tem a mesma frequência de energia harmoniosa da qualidade correspondente da alma humana, mas, nesse caso, sem deformação e em ritmo normal. Tem, portanto, afinidade com a qualidade da alma humana, pode estabelecer contato com ela, e, com suas próprias ondas harmoniosas de frequência, restabelecer a harmonia da alma.

Os remédios florais do Dr. Bach entram em contato direto com o Eu Superior do homem. Isso também explica porque são compatíveis com praticamente todos os outros medicamentos e tratamentos, cuja ação se limita a determinados níveis de energia, geralmente o do corpo físico. As flores do Dr. Bach atuam como impulsos divinos de energia, através de todos os níveis de energia.

A energia que se encontra nas essências florais e que é obtida dos gomos florais de flores silvestres mostra como descobrir o caminho e, em vez de lutar contra um estado negativo, nos ensina a supera-lo, fortalecendo e estimulando a qualidade positiva que cada um de nós tem dentro de si.

Não há cura real, a menos que haja uma mudança na perspectiva com a qual o homem vê o mundo, permitindo que ele alcance a paz e a felicidade interior.

Essa nova orientação da medicina que ajuda o corpo a mobilizar suas capacidades de cura interior, difere do conceito da pílula tranqüilizante, que causa o relaxamento nos primeiros 15 a 30 minutos. Esse efeito durará de 6 a 8 horas, e depois ressurgirá o estado emocional que existia antes.

Os florais de Bach, ao contrario, se escolhidos e tomados corretamente pelo tempo suficiente, têm um efeito profundo e duradouro. Alguns atuam mais rapidamente do que os outros, dependendo de cada pessoa, e ajudam a resolver conflitos com raízes profundas em oposição á dissimulação dos sintomas. Eles podem ajudar a modificar situações arraigadas há anos e que ás vezes são difíceis de eliminar, mesmo com ajuda psicológica.

 

Fabrício Licursi compartilha reflexões sobre corpo, expressão e movimento de escolas internacionais em Workshop Único

CORPO RASTRO.

Prática de Encontro com a Dança-Teatro

 

Disponibilizar a Escuta e Percepção do Corpo para o Movimento através da prática do “Body Water” e do “Floating” presentes no Gaga Dance (Batsheva Dance Company-Israel).

Investigar o Movimento através de seqüencias presentes na Arte Marcial Kung Fu.

Refletir em Movimento com estas práticas corpóreas que envolvem a percepção do Fluxo Energético do Corpo, do perder e ganhar Energia e das Densidades e Levezas presentes no Sistema Orgânico do Corpo Humano.

Mais do que uma técnica ou uma forma de linguagem estabelecida procura proporcionar ao participante o estudo sobre a sua Organicidade, sobre a Presença Cênica e a Arquitetura do Movimento.

 

 

Datas: 02 e 03 de Abril de 2011

Horário: das 10h às 14h

Local: Espaço (Rua Alves Guimarães 1374 próximo ao metro Sumaré)

 

Investimento: 140,00

Vagas Limitadas.

Reserva de vaga: R$ 40,00 em Depósito ou no Local.

Restante do Valor (R$ 100,00) pago no 1˚ dia do curso na Secretaria

Informações pelo tel: 3862 4049 (de 2ª à 6ª …. / 2ª e 3ª

pelo email: informativoespaco@gmail.com

 

Fabricio Licursi é formado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Entre 2002 e 2007, como ator, trabalhou com os diretores: Verônica Fabrini, Márcio Tadeu, Marcelo Lazzaratto, Grácia Navarro e Márcio Aurélio

Em 2009, pela Cia. Lazzo, atua no espetáculo Réquiem (de Hanoch Levin) dirigido por Francisco Medeiros. E em 2010 realiza a preparação corporal dos atores da peça Os Passageiros, também, dirigida por Francisco Medeiros.

Integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI-SP.

Em 2007, atua no Projeto CAMINHOS dirigido por Cristiane Paoli Quito, é introduzido à linguagem Nova Dança, com a preparação corporal de Alex Ratton e Tarina Quelho(BMC – Body Mind Centering).

A partir dai trilhou o caminho através de workshops e aulas regulares com profissionais brasileiros. Entre eles: Eleonora Fabião, Lu Favoreto, Tica Lemos, Juliana Moraes e Daniel Lepkof (USA)

Em 2008 participa do Núcleo Hana, com a Peça “Oversized”, dirigida pela diretora japonesa Alice K – pesquisando os princípios de movimento desenvolvidos pela bailarina japonesa Anzu Furukawa.

De abril a julho de 2010 integrou o Programa Berlin Post School for Physical Theater-Dance realizado pela Cia. KIM (Kosmos in Movement – http://www.physicaltheater.net/berlin-post-school.html ) em parceria com o espaço cultural TanzFabrik (Berlin-Alemanha).

Deste processo cria o solo “Na Avenida” em que pesquisa o diálogo entre a dança/movimento, os princípios da máscara do clown e a respiração (fluxo de energia Ki).

Links na web:

Vídeo de inscrição para Berlin Post School: Faberlin