Archive for maio, 2017

Terapia Craniosacral

Related image

Terapia Crânio-Sacral

Por volta de 1900, o estudante de osteopatia, Dr. William G. Sutherland, foi surpreendido por uma idéia.

https://i1.wp.com/www.craniosacralcharleston.com/images/publish/sutherlandw.jpg

Ele percebeu que os ossos do crânio eram desenhados de tal forma que permitiam um movimento entre si. Por mais de vinte anos ele estudou a possibilidade de movimento nos ossos do crânio adulto. Fez experiências com seu próprio crânio, utilizando-se de aparelhos, como capacetes, forma de exercer diversas pressões em variadas partes de sua cabeça.

Sua esposa manteve um relatório sobre as mudanças de personalidade que ocorreram com ele durante as diversas variadas aplicações da pressão. Ele descreveu dores, problemas de coordenação motora, etc, conforme cada tipo de pressão.

No começo dos anos 30 publicou seu primeiro artigo sobre este trabalho no Minnesota Ostheopatic Journal.

https://i1.wp.com/static.wixstatic.com/media/d0ab92_8914d0fbed7d43fa90c601b8ea3cec51.jpg_srz_420_329_85_22_0.50_1.20_0.00_jpg_srzEm 1970, durante uma cirurgia na nuca de um paciente, o Dr. John Upledger percebeu o movimento rítmico da dura mater. Dois anos mais tarde, participou de um seminário que explicava as idéias de Sutherland e ensinava algumas das técnicas de avaliação e tratamento.

Pôde então entender com um sistema hidráulico funcionava dentro das membranas do crânio e da medula óssea.

Em 1975 foi convidado pelo Ostheopatic College da Michigan State University para pesquisar e dar aulas no Departamento de Biomecânica. Ele liderou uma equipe de pesquisas multidisciplinares que estabeleceu o embasamento científico para o sistema crânio-sacral.

Estamos familiarizados com os ritmos respiratórios e cardiovasculares. Assim como eles, o sistema crânio – sacral influencia muitas funções do nosso organismo. Uma falta de equilíbrio nesse sistema pode causar danos ao desenvolvimento do cérebro e da medula, o que pode resultar em disfunções sensoriais, motoras ou neurológicas.

O sistema crânio-sacral é constituído por membranas e pelo líquido cérebro- espinhal, que envolve e protege o cérebro e a medula. O sistema se estende do cranium (osso do crânio, face e boca) até o sacrum (cóccix). O efeito positivo da Terapia Crânio-Sacral está em grande parte ligado à capacidade de cada um nas atividades fisiológicas de autocorreção. Com leves toques o terapeuta é capaz de interferir nas forças hidráulicas inerentes ao sistema crânio-sacral, melhorando, dessa forma, a situação do organismo.

Por sua influência em muitas funções do organismo, a Terapia Crânio-Sacral é utilizada hoje por uma larga variedade de profissionais de saúde, tais como osteopatas, dentistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, acupunturistas e terapeutas corporais em geral.

Ela incentiva os mecanismos naturais do corpo de forma a melhorar o funcionamento do cérebro e da medula, elimina os efeitos negativos do stress, e aumenta o bem-estar e a capacidade imunológica.

Leave a comment »

Hidroterapia

https://i0.wp.com/www.ywcaws.org/wp-content/uploads/water1.jpg

Hidroterapia

O que é?

O uso terapêutico da água quente para revitalizar juntas e músculos desgastados. É uma técnica auxiliar de reabilitação física e motora. Para pessoas que têm problemas como fraturas e artrites, é mais fácil se movimentar na água, que ajuda a reduzir as dores e os espasmos musculares, facilitando o relaxamento.

Quem pode fazer?

  • Pacientes ortopédicos: nos casos de osteoartrose, dores na coluna, má postura, pré e pós-operatórios, traumas esportivos e de trabalho
  • Pacientes reumatológicos: Artrite, fibromialgia
  • Pacientes neurológicos: traumatismos do crânio e da medula, distrofias musculares, paralisia cerebral e mal de Parkinson
  • Pacientes obstétricos: pré-natal e pós-parto
  • Portadores de deficiências mentais e sensoriais
  • Pessoas com problemas respiratórios e cardiovasculares
  • Vítimas de estresse
  • Atletas contundidos

Outros tipos de hidroterapia

Watsu
É uma terapia que combina o Zen Shiatsu (técnica para melhorar a postura e relaxar a coluna) e o uso da água aquecida: dentro de uma piscina, o paciente tem ativados os centros vitais de energia do seu corpo (conhecidos como “chacras”).

Hidromassagem
Na banheira de hidromassagem, a mistura de água quente e jatos de ar, que resulta numa corrente energizada de água, relaxa os músculos tensos e estimula o organismo a combater as dores naturalmente.

Choque Térmico
Facilita a recuperação de fraturas. Primeiro, coloca-se o pé na água quente (mas não fervendo) por três minutos, e depois na água fria por um minuto. E assim sucessivamente, até que se completem 15 minutos (o final é na água quente).

Banho de Krauter
Esse tratamento tem como objetivo a revigoração do organismo, usando alternadamente jatos de água quente e fria para estimular a circulação e energizar o corpo. Duração de vinte e cinco minutos.

Banho térmico mineral
Feito com cristais e minerais que são absorvidos por meio da pele, ajudando a desintoxicar o corpo e reduzindo o estresse. Beneficia especialmente as juntas. Dura vinte e cinco minutos.

Chuveiro Vichy
Banho de vinte e cinco minutos com óleos herbais concentrados, derivados de fontes botânicas (como a camomila e as folhas selvagens, por exemplo). Alivia e relaxa os músculos e as juntas.

Bebendo saúde

Image result for drink water

A água, seja natural ou mineral, também pode ser terapêutica quando ingerida. Saiba como usar a água natural para melhorar a sua saúde:

  • Como remédio — Beber muita água é importante para quem tem febre, pois isso impede a desidratação e elimina toxinas.
  • Para limpeza — A água pura estabiliza a temperatura do corpo, nutre as células e elimina substâncias que não servem ao organismo. Qualquer bebida sem álcool é ótima para hidratar o corpo.
  • Nos exercícios — Quem não consome líquidos antes, durante e depois dos exercícios pode sofrer câimbras.
  • Nas dietas — A água ajuda nas dietas, pois diminui o apetite se for tomada antes das refeições. Já os refrigerantes engordam, mas não alimentam.

Confira os efeitos dos principais tipos de água mineral:

  • Magnesiana — Muito eficaz contra o mau funcionamento do sistema digestivo e insuficiência hepática.
  • Ferruginosa — Boa no tratamento de anemia e fadiga.
  • Alcalina — Usada contra úlceras, arterioesclerose, hipertensão e inflação dos rins. Também ajuda a eliminar cálculos renais.
  • Radiativa — Eficiente contra problemas de fígado e cálculos biliares. É um sedativo do sistema nervoso e ajuda as glândulas e funcionarem corretamente.
  • Bicarbonatada — Útil no tratamento de cálculos renais, mau funcionamento do fígado e gota.
Fonte: Saúde – Correio Brasiliense – Data: 08.03.99

Leave a comment »

Drenagem Linfática Manual (DLM)

Image result for drenagem linfatica

Drenagem Linfática Manual (DLM)

Iniciada pelo cirurgião plástico austríaco Winwater no final do século passado, redescoberta em 1932 pelo filósofo Emil Vödder e desenvolvida por renomados cientistas como Casley-Smith, Föld, Leduc e tantos outros, a Massagem de Drenagem Linfática ou Drenagem Linfática Manual (DLM) é uma técnica de massagem altamente especializada, feita com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático, tendo por objetivo aprimorar algumas de suas funções, trazendo vários benefícios como redução de edemas linfáticos, inchaços pós-operatórios, lipedemas, celulite, retenção hídrica, acne, etc., estimulando a regeneraçào e a defesa dos tecidos, aumentando a diurese e a eliminação de toxinas, desenvolvendo assim, o equilíbrio hídrico e a homeostase do organismo.

Apesar de ser uma massagem suave, a DLM produz efeitos profundos e sistêmicos, tendo suas contra-indicações absolutas e relativas, o que significa que não pode ser usada em qualquer caso, o que exige do profissional conhecimento maior em anatomia e fisiologia humana, principalmente em sistema linfático.
É uma técnica de grande eficácia terapêutica, com efeitos iniciais imediatos, de reconhecimento científico mundial, aprovada pelas pessoas que já usufruiram, com uma procura cada vez maior e muito comentada pela imprensa leiga. Todos estes aspectos e muitos fazem da DLM uma massagem de altíssimo nível, o que a coloca no rol das melhores técnicas do mundo.

Extraído do Jornal da EOMA (Escola Oriental de Massagem e Acupuntura)/Agosto de 1999

Leave a comment »

Massagem Ayurvédica

A Massagem Ayurvédica é parte de uma medicina nascida na Índia há mais de 6000 anos, denominada Ayurveda. É uma massagem de cura, mas que também reflete diretamente na estética corporal e visual a partir da liberação das toxinas presas aos músculos e aos tecidos do corpo, assim como as toxinas internas, instaladas em vários de nosssos órgãos. Fala a mestre em Massagem Ayurvédica Ma Prem Ila:

“É uma técnica corporal profunda e vigorosa que tem como motor de arranque , ou seja, o início do trabalho o aquecimento da coluna vertebral, que segundo o ayurveda, é o centro da vida. Na verdade, é a base do trabalho, acrescida de manobras de alongamentos e trações. A massagem conta também com a dinamização dos órgãos e pontos vitais realizada através de pressões e a circulação constante da energia, o que favorece um realinhamento em todos os níveis energéticos.”

A terapia está ligada às hierarquias sagradas vedas, que visam a saúde e ao bem estar das pessoas em todos os planos. Quando falamos, portanto, de alinhamento em todos os níveis energéticos, também estamos citando o espiritual.
A movimentação corporal, ou seja, a parte do aquecimento e deslizamentos é auxiliada por óleo específico para cada pessoa e um pó de raiz originária da Índia chamada Vackandi, similar ao ginseng brasileiro (Pfáfia paniculata).

A realização da Massagem Ayurvédica tradicional só é possível em um tanque, que favorece ao doador realizar as manobras de alongamentos e trações. É impossível se fazer essa modalidade de massagem em uma cama ou maca. O receptor deverá ficar em trajes menores, com a parte do corpo que não esteja sendo usada coberta por um lençol, e permanecer relaxado, respirando normalmente, evitando conversar para que o terapeuta possa realizar o trabalho com consciência, procurando identificar partes do corpo onde existam energias bloqueadas ou estagnadas a fim de soltá-las, aumentando assim a movimentação muscular.

O terapeuta deverá ter a postura relaxada, segura, e principalmente, ter conhecimento de leitura corporal para poder realizar um trabalho aliado a manobras corretas para cada caso, obtendo assim resultados satisfatórios num menor espaço de tempo. Também é interessante realizar previamente uma forma de diagnóstico (anamnese), onde será encontrado o dosha (humor corporal) de cada indivíduo.

Existem três humores básicos: Vata (ar corporal), Pitta (calor corporal) e Kapha (água biológica). Uma pessoa pode ter uma ds seguintes constituições: Vata, Pitta, Kapha, Vata-Pitta, Pitta-Kapha, Vata-Kapha ou Vata-Pitta-Kapha (este último é mais raro de se encontrar). Com este diagnóstico, o terapeuta terá segurança na utilização do óleo correto de acordo com cada humor.

O ponto ótimo do trabalho é o relaxamento através da cabeça e dos olhos.
A técnica é multi-diversificada, e utiliza dezenas de manobras, ficando a cargo do terapeuta definir qual a mais indicada para cada caso.

Extraído do Jornal Prana – Maio de 1999
Adaptado por Arnaldo V. Carvalho

Leave a comment »

%d blogueiros gostam disto: