Informativo Portal Verde – Edição junho 2008

Dicas de saúde, receitas deliciosas, notícias positivas e matérias exclusivas. O Informativo Portal Verde, que começou como um pequeno e-mail 100% texto, enviado aos usuários do site e do espaço de terapias, modernizou-se por volta de 2007, e passou a ter versões online, por um curto período de tempo. Vamos aos poucos disponibilizar o que sobrou desses arquivos aos leitores do Portal Verde atual. Desfrutem!

Revista eletrônica Portal Verde Qualidade de vida!
Portal Verde – Organização dedicada à saúde e desenvolvimento humano. Ano 4 Número 3 – EDIÇÃO Junho/2008

A hora e a vez da Aromaterapia

Moderna e cada vez mais irrefutável,
profissionais de saúde aderem em peso ao
uso da técnica

Já não será surpresa se, ao sair do consultório médico, encontrar amigas vindas do veterinário do cão, da psicóloga, do acupunturista e até da nutricionista ,e descobrir que todas elas foram orientadas à usar óleos essenciais.

Confira a matéria completa sobre a diversidade de aplicações da Aromaterapia novo site brasileiro de Aromatologia.

NOTÍCIAS

1. Brasil melhora sua posição contra mortalidade infantil Ponto para o Brasil. A revista britânica “Lancet” afirmou que o Brasil ocupa a segunda posição no ranking de erradicação da mortalidade infantil (…). Veja a Matéria Completa

2.São Paulo terá programa de reaproveitamento de água Foi aprovado o projeto que determina a criação do “Programa Estadual de Conservação e Uso Racional da Água nas Edificações Públicas e Privadas” (…). Veja a Matéria Cmpleta

3. Site indica pontos de coleta seletiva . A empresa Tetra Pak criou o primeiro buscador específico de pontos de coleta seletiva e reciclagem das embalagens longa vida (…). Veja a matéria Completa

•: Bons pra Cuca: Livros, Vídeos, Jogos e CDs :•

•: Receita Natural :•

Salada de aspargos, ervilha torta, mini laranja e castanha de cajú

Ingredientes:

– 8 ervilhas-torta
– 8 aspargos
– 8 laranjinhas kinkan
– 2 colheres de sopa de castanha de caju

Molho:

-200 ml de azeite extra-virgem
-Suco de 2 à 3 limões cravo
-1 colher de chá de melado ou xarope de milho
-1 pitada generosa de sal marinho
-Ervas frescas

Modo de fazer:

Misture os ingredientes do molho e emulsifique.
Fatiar em diagonal as ervilhas e aspargos e as laranjinhas em lâminas retas, retirando as sementes. Misturar todos os ingredientes ao molho e as castanhas de caju no final.

“Enquanto uns choram, outros vendem lenço” (de Maurício Werner): O livro busca mostrar que não existe crise para todos ao mesmo tempo.
“O TERMINAL “: Bem interessante, conta a história de um homem preso num terminal de aeroporto por ter sua entrada nos Estados Unidos negada e, não poder retornar ao seu país de origem, a Krakozhia, devido a uma revolução. Com: Tom Hanks, Catherine Zeta-Jones Coordenação Motora : No site Orisinal há diversos jogos que a primeira vista parecem bastante simples, mas que testam e estimulam nossa coordenação motora. Destaque para o jogo Egg e o jogo Apple.
•: Pergunte ao Terapeuta :•

“Qual o melhor tratamento para o Mal de Parkinson?”
Mariana Correia, São Carlos, SP

R – Uma combinação de tratamentos é sempre o ideal. Tratamentos naturais para o mal de parkinson são muito bem vindos e de extrema eficiência. Inclui exercícios respiratórios e de relaxamento, o uso de fitoterápicos e reeducação alimentar são fundamentais, e não competem com o tratamento médico. Podem, inclusive reduzir brutalmente possíveis efeitos colaterais dos medicamentos alopáticos. Não se fala em correntes naturalistas em cura total do mal de parkinson, embora a visão da medicina tradicional chinesa acerca dos desequilíbrios (não existem doenças como o mal de parkinson nessa visão – este seria um sintoma de um desequilíbrio interior mais complexo) sugira que o tratamento poderá ir além do que o mero controle ou retardo em sua evolução. Em geral, o cliente observa melhora logo nas primeiras seções.

Arnaldo V. Carvalho é naturopata e ministra cursos por todo o país e também no exterior. Contato: arnaldovc@portalverde.com.br

•: Frases para pensar :•

“A esperança fracassa muitas vezes,
a dor jamais,
por isso alguns crêem que mais vale dor conhecida
que dor por conhecer,
crêem que a esperança é ilusão,
são os iludidos da dor”.

Juan Gelman

•: Afetividade e Calor Humano :•

•: ONG a fora :•

  Capa
Agenda
Notícias
Entrevista
No Portal
Afetividade
Matéria
Vitrine
Para Cuca
Frases
 Pergunte ao ,,,,Terapeuta
Contato
ONG a fora
Receita Natural
Gestação ConscienteComo fazer para saber o tempo certo de gravidez? Afinal, os médicos contam em semanas, os leigos contam em meses, e na hora de converter semanas em meses nunca dá certo. Descubra aqui o certo.

Em: www.calorhumano.com.br

A ONG “BANCO DE ALIMENTOS”, tem como objetivo buscar onde sobra e entregar onde falta.

Confira mais no site

•: Portal Verde na Internet :•

•: Expediente :•

Informativo PORTAL VERDE é o informativo virtual da ONG Portal Verde, com sede em Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Telefone para contato: (21) 8217-0001 ou E-mail: faleconosco@portalverde.com.br Agradecimentos de edição:

Meditação de acordo com o (seu) possível

Meditação de acordo com o (seu) possível

Independente de sua rotina, há sempre uma possibilidade de meditar.

Por Arnaldo V. Carvalho

“Falar é fácil”, costuma dizer quem acha que para meditar é preciso horas de dedicação diária, ou mesmo estar parado e em lugar silencioso. Contudo, há uma infinidade de técnicas que tornam possível a meditação em praticamente qualquer ambiente ou lugar. Para começar, é precisodefinir o que é meditação – Um conceito bastante subjetivo, abstrato, e sujeito à inúmeras interpretações, que por sua vez são influenciadas por dogmas, cultura e sistema de crenças em geral.

Em termos gerais, contudo, podemos definir meditação como um meio para se chegar a algum lugar. É, ainda um fenômeno que passa pelo campo mental, ou ao menos, inicia-se na mente.

Cada pessoa ou grupo encara a meditação de maneira diferente. A meditação pode ser vista como reflexão, como alcançar um estado de ligação com o inconsciente coletivo, com o Cosmo ou Deus, e ainda, como estado alterado da consciencia, onde a pessoa experiencia um profundo relaxamento, podem surgir insights diversos. Sob o ponto de vista da parapsicologia, premonições, telepatia, e toda a sorte de fenômenos psíquicos podem surgir na meditação. Um ponto de vista mais espiritualista defende que a meditação é um momento de esvaziar a mente, e que o estado absoluto de vazio é na verdade a única forma real de meditação, onde se encontra o mais profundo sentido de conexão com a energia do Universo.

Seja lá como for, o fato é que meditar, comprovadamente, melhora a vida. Torna a pessoa mais consciente de seus atos, mais tranquila, mais feliz e capaz de transmitir essa atmosfera às pessoas ao seu redor. Meditar dá prazer. Acalma a mente, e nos traz crescimento interior, autoconhecimento.

O senso comum, porém, nos mostra monges meditando em colinas silenciosa, pessoas que deixam o apressado dia-a-dia urbano para, em clausura, obterem êxito no ato de meditar. Quando nos deparamos com esse tipo de idéia acerca do meditar, é normal que pensemos: “impossível”. Queremos ter os benefícios da meditação, mas ninguém quer ou pode parar o seu trabalho, deixar de dar atenção no pouco tempo que resta aos filhos e, enfim, descansar… A meditação fica como o sonho perdido de “um dia farei”.

Poucos sabem, contudo, que há métodos de meditação orientados especialmente para quem tem pouco tempo, e mesmo para pessoas extremamente ansiosas. É possível meditar andando ou no trânsito. É possível meditar em apenas alguns segundos. Para obter êxito em seu ato de meditar, basta que você adeque um método a algo que seja realmente possível para você, em todos os sentidos.

MEDITAÇÃO PARA O MUNDO DA PRESSA

Vamos agora destrinchar os elementos que estão presentes em praticamente todos os métodos de meditação. São eles a respiração, a visualização, a reflexão, e a entrega.

1) Passo 1: Respirar – Segundo os antigos orientais, respirar simboliza a conexão entre nosso Eu e cosmo, o coletivo. De fato, sabe-se que respirar de forma mais calma, lenta e profunda faz com que o cérebro libere hormônios ligados à prazer e relaxamento, ao mesmo tempo em que reduz a produção de hormônios ligados ao stress, como a adrenalina. Praticamente qualquer técnica de meditação começa com o ato de respirar.

Respire profundamente, de forma branda, de modo que seus pulmões inflem naturalmente, sem que haja rigor no ato. Repita o movimento por mais duas vezes. Não é obrigatório fechar os olhos, mas faça-o se sentir que isso te ajuda a relaxar.

2) Passo 2: Visualizar – Esta é a parte onde se concentra praticamente todo tipo de método de meditação. A partir de um objeto concreto, ou de abstração mental, a mente ganha foco para seguir o seu propósito. Trata-se de um artifício que faz com que, para a mente, o tempo e a distãncia não mais sejam o regente da realidade. Esta parte da técnica meditativa vêm provando ser inclusive um veículo irrefutável de cura, como mostra Gerald Epstein, diretor do American Institute for Mental Imagery (AIMI), e criador do método “Healing Vizualization”.

Você provavelmente já expermentou uma forma de visualização ao perder-se olhando para uma foto que considera especial, talvez ligada a uma pessoa que ame muito, ou a um lugar que o marcou. Esse tempo, que pode ser uma fração de segundos, minutos ou até mais, é exatamente o objetivo da visualização. Busque a imagem de um lugar, pessoa ou mesmo uma imagem abstrata, para o qual possa olhar. Essa imagem pode ser concreta, como um painel, ou pode existir apenas em sua imaginação. A imagem pode ser estática, ou pode se parecer com a cena de um filme. Em geral, essas imagens inspiram calma.

3) Passo 3: Refletir – Esse é um momento opcional. Para algumas crenças religiosas, meditar é sobretudo, um estado de reflexão. Meditar sobre um tema é traze-lo para a mente desprovida das pressões do aqui-agora, afim de que o foco mental permita lucidez para tratar do tema em questão, trazendo respostas e decisões a luz de uma grande sabedoria, que vive no interior de cada um.

4) Passo 4: Entrega

“Se você quer conhecimento, acrescente coisas; Se quer sabedoria, retire coisas”

Provérbio oriental

Aqui alcançamos o que seria o momento máximo, e em alguns casos, o objetivo derradeiro das meditações. Profundamente arraigado na cultura oriental, , a meditação como exercício para alcançar a transcendencia, o sublime, a suprema consciencia, a iluminação, ou ainda, o vazio, o absoluto, o nada.. É um momento de abstração completa, onde a mente já não funciona sob qualquer esquema verbal. As descrições sobre este tipo de momento são dificilmente compreendidas pelos que aqui nunca chegaram. As técnicas de meditação, muitas vezes, tentam “limpar a mente”, permitindo que assim ela alcance este estado. Acontece que, teoricamente, todas essas técnicas referem-se a um momento de entrega total da consciencia a este estado maior de sentir e viver. Essa entrega pode acontecer no momento de sua morte, pode acontecer com muito exercício, ou espontaneamente. Entregar-se completamente à experiencia é considerado um ato místico e que denota extrema autoconsciencia de si e principalmente, de sua ligação com a Vida. O segredo deste passo final, onde quase ninguém se atreve a dizer que alcança, é justamente a simplicidade de Ser. Quanto mais simples sua meditação, menos pretensões em relação a ela, mais chance de “deixar rolar”. Praticar o ato da entrega, mesmo que fora do momento de meditação, facilita o processo. Entregar seu corpo sem resistencia a uma chuva que vem de surpresa, entrega-lo ao sono sem depender de químicos, ou qualquer estilo, entregar-se aos cuidados de alguém. Toda a entrega nos torna cada vez mais próximos de permitir que “o algo a mais” aconteça.

Facilitam a meditação
Músicas barrocas, músicas criadas para fim de relaxamento (nem toda música new age é criada com esse fim), óleos essenciais e chás de efeito calmante são excelentes. Ambientes ligados à natureza refletem-se em nosso insconsciente, tornando nossa própria mente mais próxima da natureza interior.

Atrapalham a meditação
Todos os alimentos que contém xantinas (a família da cafeína), como chocolate, café, guaraná, chá preto, chá verde e açúcar em geral. Corantes e outros potenciais alergênicos da alimentação fazem com que o corpo se torne mais sobrecarregado e libere menos recursos para a mente. Excesso de condimentos, em especial alho e cebola, também podem ter efeito indesejado.

Algumas formas práticas de meditar no mundo corrido
Agora você aprendeu sobre os passos a serem dados para meditar. cada um deles pode durar apenas alguns segundos. Você pode criar seus próprios métodos de meditação, pensar nos ambientes e tempos em que mais encontrar-se. Seguem, aqui, algumas sugestões de ambientes e idéias gerais de métodos, apenas como idéias ilustrativas.

Meditação pelo riso

“Para mim o riso é tão importante quanto a prece”

OSHO

A terapia do riso pode ser utilizada como ato de meditação coletiva. É criado uma atmosfera de intensas risadas, e dentro disto, surge a paz da mente. Mesmo fora de sessões de grupo (sim, elas existem) procure sorrir mais. Rir, especialmente de si, é também um ato de entrega. Mas cuidado: O riso amarelo, o riso não espontaneo, meramente social, não entra nas contas do riso meditativo!

Meditações ativas
Nesses métodos, popularizados por Osho a partir dos anos 60, o corpo não fica parado. Podem ser sugeridos movimentos, danças, uso de música, etc. Existem muitas meditações ativas, gravadas em audio por profissionais como Pedro Tornaghi, com todo o tipo de proposta. Você pode procurar por uma dessas gravações, adquirir, colocar para tocar e seguir o jogo, para ver o que acontece.

Dança e Meditação
Existem métodos de dança que são particularmente propícios ao ato de meditar. Procure por danças sufis (uma dança e uma meditação em si), por Danças Circulares Sagradas. Esta segunda modalidade de dança traz prazer aos seus iniciantes, e a maestria do movimento permite que ele transcenda, alcançando objetivos semelhantes ao da meditação “estática”.

Meditação Andando
O monge budista Thich Nhat Hanh escreveu um livro com uma proposta simples: Meditar andando. É uma meditação onde a idéia é caminhar vagarosamente, contemplando o próprio caminhar. O caminhar, os pés, o movimento lento, permitem reflexão, revelam aos poucos o caminho para o Eu/Consciência cósmica.

Meditação na Cozinha
Cozinhar também pode se tornar em si um ato meditativo. É altamente propício a reflexão, a compreensão da impermanência, da transcendencia. Todos os elementos da vida estão presentes no ato de cozinhar. O fogo, a terra, o ar e a água vão se comunicando numa dança mágica que culmina em pratos nutricionalmente equilibrados e de sabor apurado. Antes d ecomeçar, pense o que vai fazer. Pense na comida que quer utilizar para meditar. Respire fundo e comece. Quanto menos entrar a mente verbal no processo de cortar, picar, etc., melhor. Evite a utilização de aparelhos eletrodomésticos nesse momento.

E sem querer fugir do assunto, aproveito e recomendo o livro “Meditando na Cozinha”, de Sonia Hirsch…

Meditar no banheiro
Algumas vezes é o banheiro um dos poucos atos/lugares onde deixar de fazer o que se está fazendo torna-se aceitável. Se for este o seu caso, use o banheiro para respirar, visualizar e relaxar. Já com mais tempo, o banheiro traz ainda outros ambientes altamente meditativos como a banheira ou um chuveiro quente, e ainda, o espelho. É possível meditar focando o olhar em suas próprias pupilas ou centro da testa, por exemplo.

Meditar na jardinagem
Mexer com plantas é altamente propício à meditação. Simplesmente cuide de suas plantas seguindo os passos descritos acima, e observe os resultados!

Meditar em momento de grande pressão
Uma situação de meditação possível é quando estamos recebendo uma notícia ruim, sendo tratados de uma forma negativa qualquer, etc. Ao estar recebendo uma grande carga negativa, busque lembrar dos 4 passos, respire e siga um a um, abstraindo-se do problema, indo para uma parte mais sábia de você. Você reagirá com mais sabedoria diante da pessoa ou caso.

Meditação no Trânsito
Meditar durante o trânsito não é impossível. Comece fazendo alongamentos antes de seguir os passos meditativos já comentados. Respirar em meio a buzinas, e sintoniza-las até que se pareçam música pode parecer complicado num primeiro momento, mas a mente tem a extraordinária capacidade de organizar internamente o confuso externo. Experimente.

Busque um Grupo!

A coletividade pode te ajudar muitas vezes no ato de meditar. Há grupos de meditação ligados à crenças, e outros que não tem qualquer relação com isso. Dentre famosos métodos de meditação encontra-se o Kum Nye, sistema de meditação tibetano, o médoto indiano Sahaja Yoga, a Meditação Transcendental, as meditações de Osho, e mesmo os métodos de controle mental do Dr. Silva.

“Morrer deve ser a maior das aventuras”

Peter Pan, no filme “Retorno a Neverland”.

Escrito por Arnaldo V. Carvalho, criador do Shiatsu Emocional, naturopata e praticante de meditação e controle mental há 20 anos. (em março de 2009, para o Portal Verde)

Como avaliar e escolher o melhor centro de terapias para se tratar?

Dicas preciosas selecionadas pelo terapeuta Arnaldo V. Carvalho,

sobre os diferenciais a serem avaliados na hora de escolher onde se tratar

Estrutura
É importante escolher um espaço de saúde tenha uma estrutura que permita ao cliente se sentir a vontade, ao mesmo tempo que oferece todos os recursos necessários ao bom atendimento por parte do terapeuta. Muitas empresas oferecem salas pequenas e pouco confortáveis, às vezes até sem qualquer isolamento acústico. Isso pode pesar na hora do atendimento. Mesmo uma boa terapia pode ser prejudicada pelo ambiente errado.

Atendimento
Há muitas empresas com horários limitados de secretaria. O ideal é poder ser sempre atendido, e mais: falar com alguém que sabe o que está dizendo. Alguém que conheça de verdade as terapias que estão sendo oferecidas, bem como suas potencialidades.

Preço
Fique sempre desconfiado de como algumas “empresas” que cobram barato demais por terapias naturais. Cursos e treinamentos nessa área não são curtos ou baratos, e um bom atendimento não dura menos que uma hora. Na maioria desses casos, os motivos de preços baixos são os seguintes: atendimento por curiosos; ausência de funcionários; informalidade do espaço; ou tem um tempo de sessão muito reduzido, o que compromete a qualidade da terapia.

Confiabilidade
É certo que experiência no mercado é um ponto positivo na hora de escolher onde fazer uma terapia natural. Procure escolher uma empresa que tenha alguns anos de experiência. Principalmente porque diversas empresas de terapias são na verdade compostas de um único terapeuta, que às vezes “empresta” suas salas para colegas. Muitas dessas empresas não estão preparadas para o mercado e fecham suas portas mensalmente, deixando muitas vezes seus clientes com o tratamento interrompido.

Compromisso com você como Pessoa.
Muitos lugares hoje fazem atendimentos com tempo limitado, que compromete a qualidade do atendimento. Vêem o cliente como “mais um”, ao invés de estar preocupado com a pessoa que está ali a se tratar. Enfim, é uma empresa com pessoas que tratam seus atendimentos como mercadorias.

Valores e atualização

Um espaço de qualidade saberá reunir profissionais de saúde com o idealismo dos terapeutas do passado, e a experiência de anos no atendimento. Ao mesmo tempo, esses profissionais estarão sempre se modernizando, estudando, e buscando o que há de melhor em terapias naturais, além de desenvolver recursos próprios, fruto de nosso trabalho de pesquisa e nossa experiência profissional.

 

*   *   *

Nota: Na época em que foi escrito, por volta de 2005, o texto ressaltava qualidades que podiam ser encontradas no antigo centro de terapias do Portal Verde. Foi agora adaptado para apontar valores indispensáveis em um espaço de terapias.

Entrevista concedida por Arnaldo V. Carvalho ao jornalista Rafael Teixeira

Em fevereiro de 2006, o jornalista Rafael Teixeira, então atuando em O Globo, nos procurou para uma entrevista acerca do Portal Verde. Essas foram as perguntas preliminares e suas respostas.

 

1. que atividades o Portal Verde oferece? Quem executa as atividades, há uma equipe de professores e terapeutas?

Arnaldo – O Portal Verde é um centro de terapias comprometido com a qualidade do atendimento. Nosso forte hoje são as terapias de origem oriental (acupuntura, shiatsu, ayurvédica e outras), mas oferecemos também outras terapias naturais, como nutrição ortomolecular, naturopatia, florais de Bach, entre outras. Temos duas equipes, uma especializada em acupuntura e shiatsu, composta de 5 terapeutas de diferentes formações (acupunturista-técnico, fisioterapeuta acupunturista, fonoaudiólogo acupunturista, etc.). O diferencial dessa equipe é que ao contrário de outros locai s, os terapeutas interagem. Coordenados por mim, fazemos reuniões técnicas semanais, onde discutimos os casos e estudamos o que pode ser feito para melhorar ainda mais o tratamento dos pacientes. Além disso, só o Portal Verde no estado do Rio,e possivelmente no Brasil, oferece plantão 24H em acupuntura e shiatsu.

A outra equipe é composta pelos demais terapeutas naturais e convencionais. Além dos especialistas nas técnicas acima, fisioterapeutas, terapeutas corporais, psicólogos e nutricionistas fazem parte desse quadro. No total são 7 profissionais além dos da equipe de acupuntura e shiatsu, o que totaliza 12 terapeutas.

2. quais são os benefícios dessas atividades, tanto física quanto mentalmente?

Arnaldo – Os benefícios são inúmeros, e variados segundo a técnica e os objetivos do tratamento. As terapias naturais e orientais são capazes de tratar de muitas doenças. Mas não entram em conflito com o tratamento médico. Ao contrário. Se uma pessoa está passando por tratamento médico, o tratamento terapêutico natural ou oriental reforçará as ações médicas.

O que há de comum entre todas as terapias do Portal Verde é quem invariavelmente elas promovem o reequilíbrio energético do organismo, que afeta tanto a mente como o físico. Isso significa que essas terapias tem o poder de aumentar o potencial de cura do próprio indivíduo. Em todas as pesquisas científicas pode-se ver em tratamentos com acupuntura,shiatsu, ayurveda e os demais tratamentos citados as seguintes características: desenvolvimento do sistema imunológico, melhora da circulação sanguínea, diminuição drástica dos níveis de adrenalina, nor-adrenalina e cortisol (os principais hormônios associados ao stress), liberação de endorfinas e dopamina (hormônios relacionados à tranquilidade e relaxamento), regulação de melatonina (ligado aos processos de sono), inibição de processos inflamatórios e álgicos (dor).
3. Há quanto tempo existe o Portal Verde? Como ele foi criado?

Arnaldo – O Portal Verde está em funcionamento há 6 anos em Niterói. Ele foi criado a partir da observação de que havia uma busca por parte das pessoas por um tipo de tratamento que aliasse a seriedade científica (como a dos médicos), com uma filosofia de tratamento mais humano,amoroso e global de tratamento (como a dos terapeutas alternativos). Estamos no meio do caminho. Ou seja, somos terapeutas sérios, que respaldam suas técnicas através de muito estudo e dedicação, mas que acima de tudo está ligado à Vida coletiva e os ideais de um mundo melhor. O espaço se originou desses princípios. A idéia foi levada à cabo por três amigos, um médico (o pediatra Altamiro Vianna Carvalho que hoje vive na Amazonia e tem colaborado sobremaneira com a melhora do sistema de sáude da região), um terapeuta c orporal e naturopata (eu), e um consultor comercial, (Luiz Otávio F. Miranda que se apaixonou pela história de tal maneira que hoje vive nos EUA como terapeuta).

4. atividades relaxantes costumam ser mais procuradas em alguma época? Como fica a procura depois do carnaval, época de muito agito e festa?

Arnaldo – As atividades relaxantes são procuradas o ano todo, pois os centros urbanos encontram-se com grande carga de pressão sobre as pessoas, que sufocadas precisam de um tempo para se reconectar a uma atmosfera superior de consciência. Tratamentos naturais devolvem à pessoa o contato com sua natureza interior de uma forma muito intensa. As épocas de festas como Natal e Carnaval são marcadas pela diminuição da procura durante o período de vigencia, pois as pessoas estão envolvidas com esses eventos. Com o fim da época a procura aumenta excepcionalmente. Verificamos que o carnaval afasta um pouc o as pessoas dos problemas do dia a dia, mas não melhoram a qualidade global do indivíduo. O sono fica prejudicado, o abuso na alimentação e no consumo de bebidas alcóolicas, a preocupação com a segurança, entre outros, podem ser sentidas de maneira marcante nas pessoas após o carnaval.

5. muita gente imagina que basta fazer algumas sessões de uma determinada atividade relaxante e pronto, está tudo resolvido. Mas não é bem assim, certo? É preciso uma continuidade?

Arnaldo – Depende do que se procura. É sempre bom relaxar, e atividades corporais, ou que envolvam óleos essenciais sempre são uma ótima pedida nesses casos. Estamos abertos a essa proposta. Mas o que é preciso observar é que nossos terapeutas estão preparados para bem mais que isso. Quando somos procurados para ajudar uma pessoa a resolver um problema que está lhe reduzindo a qualidade de vida, como dores, insônia, stress, depressão entre outros, desenvolvemos então o um esquema de tratamento. O tratamento é uma estratégia que se cria junto ao cliente para que o mesmo fique bem novamente. Ficar bem significa estar com o corpo e a mente em harmonia. Quanto tempo leva? Depende do que está se tratando, e dos fatores individuais de cada um. Só uma avaliação adequada aliada a experiência e conhecimento técnico do terapeuta pode trazer alguma luz a questão.

Existe ainda um terceiro tipo de pessoa que se trata com terapias orientais ou naturais. São pessoas saudáveis, mas que encaram a terapia como mais do que apenas relaxamento. Essas pessoas nos procuram para desenvolver suas próprias capacidades mentais e emocionais. As técnicas que trabalhamos permitem as pessoas a analizar com pmais profundidade sua própria vida, e buscar chaves mais facilmente para a resolução de conflitos, interiores ou relacionais.

6. que tipo de problemas físicos podem ser resolvidos com atividades oferecidas no Portal Verde?

Arnaldo – Todo o tipo de inflamação e dor poderá ter tratamento bem sucedido através de técnicas como a acupuntura, o shiatsu, a aplicação de óleos essenciais, etc. É importante citar que no Portal Verde nossa perspectiva é fazer o paciente ficar bem. Então lançaremos mão de todos os recursos de que dispomos de forma integrada. Ou seja, pode ser que o terapeuta acupunturista utilize num tratamento outras técnicas adicionais, por considerar que irá otimizar o processo terapêutico junto ao paciente.

Além disso, problemas posturais de várias origens, aceleração de tratamentos traumáticos, entre outros, podem estar sendo tratados. Já tivemos diversas experiências de pessoas com lesões como fratura, rupturas ligamentares etc. se tratarem por nossas técnicas e acelerarem o prazo de tratamento médico, em até 5x.

Mas não s ó os problemas osteomusculares tem tratamento. O Portal Verde possui técnicas como a naturopatia, a madicina tradicional chinesa e a nutrição ortomolecular capazes de tratar com eficiencia a obesidade, gastrites, diversas doenças de pele, problemas intestinais, problemas no aparelho excretor, (rins, bexiga), doenças hepáticas, autoimunes, desequilíbrios hormonais diversos, entre outros.

7. várias terapias alternativas não são, digamos, reconhecidas pela ciência médica tradicional, mas, ainda assim, têm muita procura e quem faz uso dessas terapias garante que os efeitos são reais. Como você vê esse embate? Ele existe de fato?
Se houver mais alguma coisa que eu não tenha perguntado, mas que você ache importante ressaltar, fique à vontade.
Obrigado!

Arnaldo – Antes de mais nada, é preciso dizer que somente utilizamos terapias com reconhecimento. Os profissionais do Portal Verde são capazes de detalhar cada um de seus processos terapeuticos ao cliente ou a quem estiver interessado. Estudamos muito para nos tornarmos cada vez melhor. Não estudamos apenas o corpo físico, mas a natureza humana como um todo, e a nós mesmos. Mas vamos a sua pergunta:
A ciência médica tradicional não é uníssona: há muitas correntes de pensamento e divergências internas. Veja o exemplo da homeopatia. A classe médica acolheu a técnica há quase 40 anos mas boa parte dos médicos ainda não acredita nela. Quem deve determinar se uma terapia funciona ou não são os resultados apresentados por clientes. Médicos, terapeutas e profissionais de saúde precisam entender que a causa da saúde está além de diretrizes profissionais. estamos todos no mesmo barco: Lidamos com o sofrimento humano, e como também o somos, é preciso estar sensíveis para o sofrimento do outro. É preciso unir forças e encontrar ca minhos para a manutenção da saúde de forma integral. A preocupação de alguns médicos com a competencia dos demais profissionais de saúde é genuína, pois há muita gente fraca no mercado. Mas não podemos esquecer que o sistema permite formações falhas, embora o tempo de estudo entre os diferentes profissionais varie. A qualidade do profissional está intrinsecamente ligada a qualidade do ser humano, e isso é originado no berço de cada um.

*   *   *

Tem nome que se passa por Sem nome

Farsa de um sorvete que tentou se passar por outro

Por Arnaldo V. Carvalho

Aconteceu em Niterói, RJ. Fui a um supermercado e lá estava o freezer anunciando “Sorvetes Sem Nome” de dois litros n promoção por 9,90. “Sem Nome” foi a marca da sorveteria mais famosa da cidade, no meu tempo de infante e também de adolescente.

Eram duas unidades, uma enorme, que vivia lotada, com seus vários sabores e excelente qualidade. A Sem Nome fechou há anos. Ver aquela chamada do lado de fora do freezer foi como avistar um oásis após tanto tempo no deserto.

As letras eram parecidas com a da antiga sem nome, e o produto anunciava utilizar açúcar orgânico. “Coisa de quem tem qualidade”, pensei. Não titubeei, comprei duas caixas, feliz da vida. Cheguei em casa, abri o sorvete, animado com apresentar a iguaria às minhas filhas. Que decepção! O sorvete não era nada bom. Eu lamentei que a Sem Nome tivesse voltado sem honrar sua qualidade.

“Nem é Sem Nome”, disse uma delas. “É Tem Nome”. Reparando bem, o S na verdade era um T. Eu havia sido enganado, e minhas memórias trataram de ajudar na distorção da letra. Algo estava errado.

Voltei ao mercado na mesma semana. O preço indicava “Sem Nome”. As fotos comprovam que se a marca de sorvete tentou enganar o consumidor e se associar com a antiga,  admirada e falecida “Sem Nome”, conseguiu com a ajuda do próprio supermercado.

Quando a má fé se apropria de uma referência de qualidade, o consumidor é o maior prejudicado

Talvez dê para entender num episódio como esse, o quanto o plágio, a falsificação, a associação indevida entre técnicas, serviços ou produtos diferentes através de um nome em comum ou parecido deve ser combatido.

No final das contas, é o consumidor final o maior prejudicado.

***

Água de beber camarada!

Empresas investem em máquinas capazes de produzir água potável a partir da umidade do ar!

Por Arnaldo V. Carvalho*

Por que não se pensou nisso antes? Estão surgindo no mundo inteiro geradores de água, eficientes, simples e garantindo água pura e barata. A fonte é a própria umidade do ar.

“Sem qualquer sinal de vegetação, o solo do deserto é muito seco. Mas o ar contém água, e os cientistas descobriram um jeito de obter água potável da umidade do ar. O sistema é baseado em energia completamente renovável e é autonomo. (…) Mesmo em locais extremamente secos, como o deserto de Negev em Israel, a umidade média do ar é de 64%, ou seja, em cada metro cúbico de ar há 11,5 milímetros de água”. É assim que o informativo ScienceDaily começou em junho 2009 sua matéria sobre o tema.

Deixo aqui alguns exemplos dessas máquinas que infelizmente tornam-se um futuro inevitável mesmo em países ricos nisso como o Brasil, que a cada ano parece sofrer mais com a crescente desertificação de seu solo, especialmente no bioma do cerrado (que responde a maior parte do território brasileiro).

Como funcionam:

1) Primeiro elas puxam o ar através de um filtro eletrostático que já remove 93% de particulas que estiverem no mesmo.

2) A unidade de condensação recebe esse ar úmido limpo e condensa o vamor da água em líquido.

EcoloBlue 263) Como a máquina coleta a água, ela vai para um compartimento especial onde passa por luz ultravioleta, em aplicação de aproximadamente 30 minutos. Isso mata 90% dos germes e bactérias na água.

4) A água então é enviada a um sistema de filtros; primeiro ela passa por uma tela de sedimentos e em seguida por dois filtros de carvão ativado de 1 micron, que remove mais de 90% de qualquer elemento químico orgânico volátil que ainda possa estar na água.

5) Finalmente a água é filtrada por uma membrana de ultrafiltragem, com poros de 0.15 microns, para remover virtualmente todas as bactérias e vírus comuns.

A água então é passada para o tanque reservatório.

Do tanque ela ainda é reciclada a cada 30 minutos, retornando ao ultravioleta e novamente para o tanque reservatório.

Provê água limpa e segura 24 horas por dia.

Air2Water - drinking water

Air2Water

The AWS™ Technology:

 

 

Fontes de pesquisa

http://www.sciencedaily.com/releases/2009/06/090605091856.htm

http://www.aws-h2o.com/

http://www.planetswater.com/

http://www.atlantissolar.com/fwater.html

http://waterpureinternational.com/

http://www.watair.com/

http://www.pacificconservation.net/atmospheric-water-generator.html

http://www.ecosmartinc.com/catwsave20.php

http://www.atmosphericwatertechnologies.com/

http://www.youtube.com/watch?v=nlQYjikINlQ&feature=player_embedded

http://www.techlider.com.br/2012/04/dispositivo-torna-potavel-a-agua-de-ar-condicionado/

http://www.profpc.com.br/%C3%81gua/Tipos%20de%20%C3%A1gua/Tipos_de_%C3%A1gua.htm

http://www.water-gen.com/product-water-treatment-environmental.html

http://www.air2water.biz/compare-water-purification-systems.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Atmospheric_water_generator

http://www.elementfour.com/products-0

http://www.ecoloblue.com/

 

*Arnaldo V. Carvalho, naturopata, pesquisador da Vida humana e suas relações com a Vida da Terra. 

Estudo do Incor mostra que duas bactérias são as novas e perigosas inimigas do coração

Cigarro, colesterol alto e sedentarismo estão entre os principais

fatores de risco para a ocorrência do infarto. Porém, uma pesquisa
feita pelo Instituto do Coração (Incor), de São Paulo, inclui mais
um integrante nessa lista de perigos ao coração. Os novos inimigos
são duas bactérias transmitidas pelo ar. Os microorganismos
inflamam as placas de gordura responsáveis pelo entupimento das
artérias e também causam inflamação de toda a parede do vaso
sanguíneo. Dessa forma, provocam um dano maior no órgão,
aumentando ainda mais as chances de um infarto.

Foram dois anos de estudo para chegar a essa conclusão. Os
pesquisadores examinaram o coração de 40 pacientes falecidos. Os
cientistas retiraram e analisaram partes de coágulos responsáveis
pelo entupimento dos vasos. A equipe encontrou uma grande
quantidade de dois tipos de bactéria: Chlamydia pneumoniae e
Mycoplasma pneumoniae. A hipótese para explicar a presença do
Mycoplasma é a de que esse agente se alimente das placas de
gordura e, por causa disso, migre para as artérias entupidas. Em
relação à Chlamydia, ainda não se tem explicação para sua
ocorrência nos coágulos. Os pesquisadores acreditam que os
prejuízos ao coração sejam resultado da ação dos dois
microorganismos. “Juntas, as bactérias inflamam as placas de
gordura, causando sua ruptura e, consequentemente, entupimento das
artérias. Isso pode levar ao infarto”, explica a patologista Maria
de Lourdes Higuchi, integrante da equipe que realizou os estudos.

A descoberta da influência das bactérias nos problemas cardíacos
é a confirmação de uma suspeita investigada por cientistas do
mundo todo. Por enquanto, ainda não se sabe se toda pessoa
portadora desses agentes está sujeita a ter um infarto ou se o
risco existe apenas para aquelas que já têm acúmulo de gordura nas
artérias. Os pesquisadores também não sabem dizer se, para
prevenir os estragos, bastaria tomar antibióticos. Até porque não
se sabe se as drogas existentes seriam eficazes para combater as
bactérias já instaladas no coração. Porém, é possível dizer que o
trabalho dos brasileiros contribuirá para melhorar o combate às
doenças cardíacas. “A descoberta pode levar a novas técnicas de
prevenção e tratamento”, afirma Maurício Wajngarten, cardiologista
geriátrico de São Paulo. O especialista tem razão. Se for portador
das bactérias, o indivíduo poderá ficar mais atento à saúde de seu
coração, já que elas representam mais um fator de risco.

A equipe do Incor também investigou se outras doenças cardíacas
podem estar ligadas à presença dessas bactérias. E o resultado foi
positivo. É o caso da estenose aórtica (endurecimento da válvula
aórtica, estrutura que permite ao coração bombear sangue para o
organismo, impedindo a volta do líquido). O problema surge devido
à degeneração dessa parte do órgão em consequência do
envelhecimento. Geralmente, acomete cerca de 10% das pessoas a
partir dos 60 anos e os sintomas são falta de ar e tontura,
podendo levar à morte súbita. Os estudiosos retiraram parte da
válvula danificada de pacientes submetidos à cirurgia para
correção do problema e analisaram o material. Eles detectaram a
presença da Chlamydia e do Mycoplasma nas regiões danificadas ao
redor da válvula. Assim como no caso do infarto, os
microorganismos agem de forma semelhante. Inflamam o local e
obstruem ainda mais a região.

Fonte: Internet.

Arteterapia: A Arte de se Harmonizar

gloria_art

Por Glória Chan

Através de atividades expressivas, os freqüentadores de ateliês terapêuticos fazem uma jornada pelos caminhos da mente, das emoções, dos sentimentos, do corpo e energético, se redescobrindo e reconstruindo sua identidade na sua essência. Essa é a Arteterapia, que desenvolve o poder de auto-cura e de criatividade.

Os materiais e as técnicas utilizadas são os mais variados. Personalizado para cada cliente.

Arteterapia trabalha com símbolos e arquétipos (mentais e emocionais) comuns a toda a humanidade. Por meio da expressão, o cliente passa a se relacionar de uma maneira mais natural e melhor com o mundo e consigo mesmo.

Como são os atendimentos e a quem se destina:

Os atendimentos de Arteterapia podem ser individuais ou de grupo, e são indicados para todas as faixas etárias. Geralmente, é associada a outras terapias (Aromaterapia, Reiki, Xamanismo,…) visando a volta ao seu Verdadeiro Eu. Desenvolvem-se ainda programas (workshops) para empresas, escolas, objetivando maior integração e produtividade das equipes de trabalho. Esses encontros podem ser realizados nas próprias empresas, ou em outro espaço a ser combinado.

A arteterapia é direcionada a todas as pessoas que buscam maior equilíbrio e harmonia, se descobrindo, revelando e desenvolvendo seus potenciais criativos, ampliando sua capacidade de se relacionar com fatos e pessoas, elaborando e transformando se dia a dia com maior naturalidade.

* Glória Chan é Arteterapeuta, Artista Plástica, Pedagoga, Aromaterapeuta e pesquisadora do Museu de Imagens do Inconsciente. Website: http://gloriachan.com.br/

Excesso de flúor na água é perigo para a população

Alerta sobre a ingestão de Fluor

– Existe uma doença chamada SKELETON FLUOROSIS (ou fluorose óssea) que
enfraquece o esqueleto humano. Esta doença deixa a pessoa praticamente
inutilizada, já que o esqueleto torna-se incapaz de suportar o corpo humano.
A forma mais branda da doença é a fluorose dental, cujos sinais são manchas
esbranquiçadas em 1 ou mais dentes;

– O que causa isto é a ingestão de fluor acima de uma certa quantidade
“segura”, seja na água, na escovação, em objetos e alimentos lavados com
água fluoretada, em gargarejos com fluor, etc.;

– Estudos científicos no ano de 2003 indicam que os níveis “seguros” para a
quantidade máxima de ingestão de fluor pelo ser humano, adotados até o ano
de 2002, estavam errados. Em 2003 foram feitas correções que reduziram estes
índices pela metade;

– Esta quantidade diária não é capaz de causar a doença em si ou as doenças
secundárias, mas o acúmulo periódico de quantidade excessiva de fluor
não-eliminado pelo organismo durante anos pode. As doenças, após aparecerem,
não são facilmente curáveis.

– Por ser uma substância que gera uma proteção contra as cáries, o fluor é
mundialmente indicado para uso no creme dental e na água. No Brasil, a
fluoretação (adição de fluor) em toda a água potável (mineral também) é
obrigatória (é Lei). Aliás, o uso de fluor para a redução da incidência de
cáries dentárias foi implementada justamente pela observação de que em
países cuja população sofre mais com fluorose dentária ou óssea pela
fluoretação natural da água (embora excessiva), como a Índia, a quantidade
de cáries é mínima;

– Vários produtos, de água mineral a creme dental, utilizam fluor em sua
composição com base nos índices ainda de 1993 (10 anos atrás). Qualquer
redução deste índice acarretará em mudanças nos produtos ao longo dos anos,
já que as empresas não se disporão a gastar mais em pesquisas e formulação
de conteúdo e de processos industriais do que já gastaram. Isto significa
que, mesmo que os organismos internacionais alterem mundialmente os indices
de fluor adotados hoje, ainda estaremos a mercê da indústria;

– Pesquisas apontam para vários sintomas decorrentes desta ingestão
acentuada de fluor, inclusive com alguns destaques interessantes:
— acima de 0,3 ppm: 21% de fluorose dental em pelo menos 2 dentes;
— até 1 ppm (ou mais): acúmulo de fluor na glândula pineal (!!);
— 1 ppm: menstruação precoce em meninas; 48% de fluorose dental;
— 1,7 ppm: casos confirmados de fluorose óssea em pessoas com alguma
deficiência renal;
— 1,8 ppm: diminuição do Q.I.;
— 2,3 ppm: prejuízo ao funcionamento da glândula Tireóide;
— 3,0 ppm: redução da fertilidade feminina;
— 4,0 a 4,3 ppm: redução da densidade óssea no córtex ósseo (parte mais
externa dos ossos); aumento de casos de fraturas ósseas em seres humanos (as
pesquisas anteriores eram em animais);
— (relação completa das pesquisas e resultados em
http://www.fluoridealert.org/nrc-review.htm).

– Alguns artigos relacionados:

Systematic review of water fluoridation
http://www.pubmedcentral.gov/articlerender.fcgi?tool=pmcentrez&artid=27492
(aliás, ótimo site para publicações cintíficas relacionadas à saúde)

Dental caries: a nation divided (Canadian Medical Association)
http://www.cmaj.ca/cgi/content/full/167/9/1035

O extinto sal marinho e os perigos do sal refinado

OS PERIGOS DO SAL REFINADO E AS VANTAGENS DO SAL MARINHO NATURAL

Sabe-se que o ser humano não pode viver sem o sal. Biologistas afirmam freqüentemente a importância do cloreto de sódio para a manutenção do metabolismo e do equilíbrio do sistema imunológico, ou de defesa.

Na Natureza os seres vivos adquirem o sódio dos alimentos, sem precisar adicionar alguma coisa, como no caso do sal extra usado pelo homem. Na verdade, se vivêssemos em ambiente bem natural, usando apenas alimentos retirados do meio ambiente puro, não precisaríamos de sal. Porém vivemos hoje uma situação mais artificial, sendo grande o nosso desgaste físico e a conseqüente perda de minerais importantes, seja pelo “stress” moderno, excesso de trabalho, perturbações emocionais (ver, por exemplo, o problema da perda de Zinco nas neuroses e psicoses) seja pelos antinutrientes da dieta comum (açúcar branco, farinhas refinadas etc.) e pela ma alimentação.

Existe muita confusão, no entanto, quanto ao uso do sal marinho puro e do sal refinado, sendo que o primeiro e que contém elementos importantes e o segundo é prejudicial.

O sal marinho contém cerca de 84 elementos que são, não obstante, eliminados ou extraídos para a comercialização durante o processo industrial para a produção do sal refinado. Perde-se então enxofre, bromo, magnésio, cálcio e outros menos importantes, que, no entanto, representam excelente fonte de lucros. Uma industria que esteja lucrando com a extração desses elementos do sal bruto é geralmente poderosa e possui a sua forma de controle sobre as autoridades. É claro que será então dada muita ênfase a importância do sal refinado empobrecido e pouca ao sal puro, integral, abominado.

Durante a “fabricação” na lavagem do sal marinho são perdidas as algas microscópicas que fixam o iodo natural, sendo necessário depois acrescentar iodo, que é então colocado sob a forma de iodeto de potássio, um conhecido medicamento usado como expectorante em xaropes. Ocorre que o iodeto não é de origem natural. É utilizado para prevenir o bócio como exigência das autoridades de “controle”.
No entanto é geralmente usado numa quantidade 20% superior à quantidade normal de iodo do sal natural, o que predispõe o organismo a doenças da tireóide diferentes do bócio, como nódulos (que hoje em dia as pessoas estão tendo em freqüência maior) de natureza diversa, tumores, câncer, hipoplasia etc.
O sal marinho, não lavado, contém iodo de fácil assimilação e em quantidades ideais. O problema que fez com que se exigisse a iodatação artificial do sal é que industrias poderosas têm interesse na extração de produtos do sal bruto e na venda do sal refinado. Na trama montada, há também o interesse na venda do iodeto de potássio que gera lucros absurdos para multinacionais. Imagine-se quanto iodeto não é vendido uma vez mantido este processo.

Jacques de Langre chama esse mecanismo de “Big Oceano Multinacional Busines Organization”, capaz de controlar governos (principalmente o nosso…) e mobilizar profissionais cegos e manipulados da área de saúde a defenderem o sal refinado até mesmo na imprensa, como aconteceu recentemente no Brasil.

Existem problemas também não observados quanto à adição de iodo artificial. Os aditivos iodados oxidam rapidamente quando expostos à luz. Assim, a dextrose é adicionada como estabilizante, porém, combinada com o iodeto de potássio, produz no sal de mesa uma inconveniente cor roxa, o que exige então a adição de alvejantes como o carbonato de sódio, grande provocador de cálculos renais e biliares, conforme vários estudos científicos. Este produto existe em quantidades descontroladas no sal refinado, pois é impossível a sua distribuição uniforme. Produz cálculos em animais de laboratório, quando usado diariamente em quantidades um pouco inferiores as encontradas habitualmente no sal de cozinha.

Também no processo de lavagem são eliminados componentes como o plâncton (nutriente), o krill (pequeno camarão invisível) e esqueletos de animais marinhos invisíveis.
De certa forma, em pequenas quantidades, estes fatores fornecem importantes oligoelementos como zinco, cobre, molibdênio etc., além de cálcio natural. O krill é o alimento único e básico das baleias.

Na industrialização do sal, freqüentemente é feita, então, uma lavagem a quente para melhor “clarear” o produto, perdendo-se aí a maior parte dos seus macro e micro elementos essenciais, a maior parte deles úteis na ativação e figuração
de enzimas e coenzimas. A utilização do vácuo durante o processo auxilia também a perda de elementos.

Depois de empobrecido, o sal industrial é “enriquecido” com aditivos químicos, contendo então perto de 2% de produtos perigosos. Para evitar liquefazer-se e formar pedras (senão gruda nos saleiros e perde a concorrência para os sais mais “saltinhos”), recebe oxido de cálcio (cal de parede) que favorece também o aparecimento de pedras nos rins e na vesícula biliar devido à sua origem não-natural. Depois outros aditivos são usados, como: ferrocianato e prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio e agentes antiumectantes diversos, entre eles o óxido de cálcio e o carbonato de cálcio. Obtém-se assim o sal refinado que agrada a dona-de-casa: branco, brilhante, soltinho, rico em antiumectantes, alvejantes, estabilizantes e conservantes, mas sem cerca de 2,5% de seus elementos básicos, que não são exigidos por lei…

Entre uma das perdas irreparáveis no sal refinado está o importante íon magnésio, presente no sal marinho sob a forma de cloreto, bromato, sulfato etc., de origem natural.

Sabe-se que a escassez de magnésio no sal refinado favorece também a formação de cálculos e arteriosclerose, além de arteriosclerose em diversas regiões do organismo quando o cálcio de origem não natural está presente, como é caso do sal industrializado.

Sabemos que o magnésio enquanto abundante no adulto é escasso em pessoas idosas, que está relacionado à sensibilidade precoce e impotência. O organismo adulto precisa de cerca de 1g de magnésio por dia. A desmineralização pela lixiviação do solo produz uma diminuição da quantidade de magnésio em vegetais e sementes. O magnésio também está diminuído nos cereais decorticados e farinhas brancas e sempre em quantidades suficientes nos produtos integrais. O sal refinado comum de mesa processado à vácuo ou fervido, possui quantidade de 0,07 % de magnésio. O magnésio promove a atividade das vitaminas e estimula numerosas funções metabólicas e enzimas como a fosfatase alcalina. Participa de modo importante no metabolismo glicídico e na manutenção de equilíbrio fosfato/cálcio.

Testes de laboratório revelam que cobaias desprovidas de magnésio param de crescer e morrem em 30 dias. Os benefícios do sal rico em magnésio são devidos ao espetacular estímulo ao crescimento normal de células.

O sal marinho não é a única fonte de magnésio. Ele está presente normalmente nas folhas verdes (como núcleo da molécula de clorofila) e em muitos alimentos do reino vegetal. Com a alimentação a base de produtos refinados, como sal, açúcar, cereais etc., as pessoas estão expostas a muitos problemas, sem que as autoridades sanitárias atentem para a situação.

Não é necessário usar uma grande quantidade de sal marinho na dieta, como pode parecer. Bastam pequenas quantidades. Sabe-se também que o teor de sódio deste sal é menor que no refinado, que possui elevadas concentrações de sódio sob
a forma de cloreto. Isto pode ser verificado provando-se os dois. O sal refinado produz uma sensação desagradável devido a sua concentração, ao passo que uma pedrinha de sal marinho é até agradável ao paladar. Devido ao seu elevado teor de sódio, o sal refinado favorece a pressão alta e a retenção de líquidos, o que não ocorre com o marinho.
O hipertenso pode até usar sal marinho no alimento, dependendo da sua condição clínica, pois os teores de sódio são menores.

O consumo de sal refinado é hoje muito exagerado.
A quantidade usada é estimada em 30 g por dia por pessoa, sendo maior se existe o costume de usar alimentos mais salgados do que o habitual. Um prato de comida contém de 8 a 10 g de sal, não estando com sabor muito salgado.
Mensalmente uma pessoa consome cerca de 1 quilo de sal, o que é já um grande excesso.

Sabemos que quando um médico atende um paciente que sofre de pressão alta ele diminui ou suspende o sal, pois a sua capacidade hipertensiva já é conhecida, mas nada se faz para prevenir mais casos de pressão alta informando a população sobre os efeitos do sal. Ao contrario, levianamente, médicos e autoridades permitem que se use quanto se queira do mesmo. É freqüente que, quando alguém mais consciente recomenda ou usa o sal marinho, a “autoridade” reprove o uso preocupada com um fator menos importante que ela apenas “acha” que ocorre que é a “falta” de iodo do sal dos “naturalistas”.
O mais curioso é que os médicos, sem saberem, também estão correndo o risco de sofrerem de hipertensão, problemas renais etc., pois usam o sal refinado.

Nos Estados Unidos e em vários países da Europa já existe sal “colorido”. Podemos ter em casa um sal azul, vermelho, roxo, verde e qualquer outra cor que se queira, como mais um resultado da capacidade tecnológica da nossa civilização.
Como mais um exemplo de fator antivida determinado por interesses em lucros fantásticos.
Resumo dos Efeitos do Sal Refinado e Doenças Correlatas:

Hipertensão arterial
Edemas
Eclampsia e pré-eclampsia
Arteriosclerose cerebral
Aterosclerose
Cálculos renais
Cálculos vesicais
Cálculos biliares
Hipoplasia da tireóide
Nódulos da tireóide
Disfunções das paratireóides

Resumo dos Aditivos Químicos do Sal Refinado:

Iodeto de potássio
Óxido de cálcio
Carbonato de cálcio
Ferrocianeto de sódio
Prussiato amarelo de sódio
Fosfato tricálcico de alumínio
Silicato aluminado de sódio
Dextrose
Talco mineral
Observação Importante:

O sal bruto, retirado das salinas não deve ser usado e sim o sal marinho moído fino (é o mesmo sal grosso próprio para churrascos). O sal bruto que provém dos compartimentos mecanicamente escavados das salinas possui até 20% de agentes poluentes quando oriundo de baías poluídas pelas industrias. No Brasil temos a sorte de não termos um sal bruto assim pois a maior parte dele provém de Cabo Frio (RJ) e Mossoró (RN).

Nos Estados Unidos o problema é mais grave, pois o sal contém de 7 a 20 % de agentes poluentes industriais e sujeira. Lá é necessário que ele seja bem lavado e refinado. O uso do sal bruto, mesmo que não muito poluído, está relacionado com o surgimento de calcificações e enrijecimento das juntas, pois estes problemas surgem quando há ingestão prolongada de água pura do mar.
Aconselha-se o uso em pequenas quantidades do sal marinho, evitando-se retirá-lo diretamente das salinas.
Ele deve passar antes pela primeira fase de lavagem leve, que não retira do sal elementos presos entre os cristais, como ocorre quando o sal é totalmente dissolvido nos tanques de hidratação e ionização.

O sal de rocha só deve ser usado em última circunstância pois não contém todos os elementos presentes no sal marinho. Origina-se da sedimentação de lagos ou águas paradas e é retirado de minas, também conhecido como “sal gema”. Grande parte dos microorganismos e minerais são perdidos com o tempo.
Fonte: Viver Natural – http://www.vivernatural.com.br