Archive for Consumo consciente

O licenciamento ambiental flex e a expansão de monoculturas na Amazônia: uma mistura explosiva — Blog do Pedlowski

Uma das ideias mais propagadas sobre o controle do desmatamento na Amazônia tem sido a de que se pode por mediações entre o Estado, organizações ambientalistas e o latifúndio agro-exportador é possível deter o avanço da perda florestal em áreas ainda coberta por vegetação primária. Um dos exemplos desse argumento de que acordos setoriais seriam […]

via O licenciamento ambiental flex e a expansão de monoculturas na Amazônia: uma mistura explosiva — Blog do Pedlowski

Leave a comment »

CAÇA AOS ORGÂNICOS I- Como consumir orgânico no Rio de Janeiro, com confiança e preço!

https://i2.wp.com/www.dietadosucoverde.com.br/wp-content/uploads/2014/12/organico1.png

Caça aos Orgânicos (RJ)

A busca de consumir orgânicos com qualidade e preço possível começou!

Arnaldo V. Carvalho

Este é o primeiro de um projeto de artigos sobre consumo de orgânicos no Rio de Janeiro.

Desde criança, consumir somente alimentos e produtos orgânicos foi um sonho, compartilhado por minha mãe comigo. Ainda tenho lembranças da lojinha da ABIO que até hoje funciona em Niterói e onde eventualmente conseguíamos algo. Nos tempos em que o Portal Verde* existia fisicamente, cheguei a ser um consumidor mais regular; Ainda chegamos a contar com uma pequena loja orgânica na Igreja Messiânica que funcionava na época. E também consumi brevemente pela Rede Ecológica, graças à amiga Rosângela Laranja. Tudo sempre com comedimento, pois infelizmente a situação econômica nunca me permitiu ser um consumidor 100% orgânico. A vontade é muita, e quanto mais sigo estudando e aprendendo, e ao mesmo tempo quanto mais a realidade da agricultura convencional se torna mais e mais perversa (a quem desejar explico) mais sinto necessidade de me virar para essa linha de produtos. Mas eles seguem muito caros, e ainda é difícil o acesso.

 

Contudo, novas alternativas vêm surgindo. Graças principalmente às novas tecnologias, os produtores e os consumidores estão se aproximando, e a eliminação de intermediários pode garantir preços melhores para os dois lados. Somado a isso, certos produtos mesmo no supermercado já são encontrados por preço similar ao convencional, ou ao menos sem uma diferença tão disparatada como a que se via antes. Nos últimos meses tenho comprado por diferença insignificante de preço alguns orgânicos em supermercados convencionais: arroz, banana e açúcar demerara são exemplos. Outros, embora mantenham pequena diferença, ainda assim têm preços atrativos pelo valor naturalmente agregado.

 

Em junho deste ano, Erica Sepulveda publicou uma ótima pesquisa com formas diversas de entrar em contato com o mundo dos orgânicos, cada um com peculiaridades e vantagens. A matéria está em: http://www.recicloteca.org.br/agronegocio/do-produtor-ao-consumidor-como-comprar-organicos-no-rio-de-janeiro/ e é excelente.

 

Para complementar o trabalho da Erica, revi as indicações, e criei uma tabela enxuta para que todos possam comparar e optar.

 

Opções de consumo consciente, orgânico, sustentável (Rio de Janeiro)

 

Rede Secos Perecíveis Taxas Mínimo mensal Entrega OBS:
Rede Ecológica Sim Sim R$80, 60, 40 (semanal, quinzenal e mensal respectivamente) Ponto de retirada
Clube Orgânico Não Sim R$100,00 anual R$355,00 (14 itens semanais) Sim, R$40,00 semana Não há escolha do que comprar
Junta Local Sim Sim

Mas tem sacola virtual semanal
Feiras itinerantes

? Produtores de orgânicos mas não só, comida artesanal se juntam
Organomix Sim Sim Sim Verdadeiro supermercado natural virtual
Feiras Sim Sim Feira livre tradicional mas só de produtores ecológicos
Uni-Orgânico Sim Sim R$50,00 mensal Sim, com taxa Reunião de produtores e consumidores na forma de associação
Supermercados
convencionais
Sim Sim Alguns supermercados conseguem oferecer bons preços eventuais em orgânicos

 

Boas compras, e bom consumo consciente!

 

***

* Arnaldo V. Carvalho é naturopata, e escreve sobre consumo consciente, entre outros temas. www.arnaldovcarvalho.com

 

** Portal Verde foi um espaço que reunia terapias, cursos, eventos, projetos e lojinha de produtos, e funcionou de 2000-2008. Atualmente, segue vivo lançando notícias sobre qualidade de vida e saúde natural, através do site/blog www.portalverde.com.br

Leave a comment »

Informativo Portal Verde – Edição junho 2008

Dicas de saúde, receitas deliciosas, notícias positivas e matérias exclusivas. O Informativo Portal Verde, que começou como um pequeno e-mail 100% texto, enviado aos usuários do site e do espaço de terapias, modernizou-se por volta de 2007, e passou a ter versões online, por um curto período de tempo. Vamos aos poucos disponibilizar o que sobrou desses arquivos aos leitores do Portal Verde atual. Desfrutem!

Revista eletrônica Portal Verde Qualidade de vida!
Portal Verde – Organização dedicada à saúde e desenvolvimento humano. Ano 4 Número 3 – EDIÇÃO Junho/2008

A hora e a vez da Aromaterapia

Moderna e cada vez mais irrefutável,
profissionais de saúde aderem em peso ao
uso da técnica

Já não será surpresa se, ao sair do consultório médico, encontrar amigas vindas do veterinário do cão, da psicóloga, do acupunturista e até da nutricionista ,e descobrir que todas elas foram orientadas à usar óleos essenciais.

Confira a matéria completa sobre a diversidade de aplicações da Aromaterapia novo site brasileiro de Aromatologia.

NOTÍCIAS

1. Brasil melhora sua posição contra mortalidade infantil Ponto para o Brasil. A revista britânica “Lancet” afirmou que o Brasil ocupa a segunda posição no ranking de erradicação da mortalidade infantil (…). Veja a Matéria Completa

2.São Paulo terá programa de reaproveitamento de água Foi aprovado o projeto que determina a criação do “Programa Estadual de Conservação e Uso Racional da Água nas Edificações Públicas e Privadas” (…). Veja a Matéria Cmpleta

3. Site indica pontos de coleta seletiva . A empresa Tetra Pak criou o primeiro buscador específico de pontos de coleta seletiva e reciclagem das embalagens longa vida (…). Veja a matéria Completa

•: Bons pra Cuca: Livros, Vídeos, Jogos e CDs :•

•: Receita Natural :•

Salada de aspargos, ervilha torta, mini laranja e castanha de cajú

Ingredientes:

– 8 ervilhas-torta
– 8 aspargos
– 8 laranjinhas kinkan
– 2 colheres de sopa de castanha de caju

Molho:

-200 ml de azeite extra-virgem
-Suco de 2 à 3 limões cravo
-1 colher de chá de melado ou xarope de milho
-1 pitada generosa de sal marinho
-Ervas frescas

Modo de fazer:

Misture os ingredientes do molho e emulsifique.
Fatiar em diagonal as ervilhas e aspargos e as laranjinhas em lâminas retas, retirando as sementes. Misturar todos os ingredientes ao molho e as castanhas de caju no final.

“Enquanto uns choram, outros vendem lenço” (de Maurício Werner): O livro busca mostrar que não existe crise para todos ao mesmo tempo.
“O TERMINAL “: Bem interessante, conta a história de um homem preso num terminal de aeroporto por ter sua entrada nos Estados Unidos negada e, não poder retornar ao seu país de origem, a Krakozhia, devido a uma revolução. Com: Tom Hanks, Catherine Zeta-Jones Coordenação Motora : No site Orisinal há diversos jogos que a primeira vista parecem bastante simples, mas que testam e estimulam nossa coordenação motora. Destaque para o jogo Egg e o jogo Apple.
•: Pergunte ao Terapeuta :•

“Qual o melhor tratamento para o Mal de Parkinson?”
Mariana Correia, São Carlos, SP

R – Uma combinação de tratamentos é sempre o ideal. Tratamentos naturais para o mal de parkinson são muito bem vindos e de extrema eficiência. Inclui exercícios respiratórios e de relaxamento, o uso de fitoterápicos e reeducação alimentar são fundamentais, e não competem com o tratamento médico. Podem, inclusive reduzir brutalmente possíveis efeitos colaterais dos medicamentos alopáticos. Não se fala em correntes naturalistas em cura total do mal de parkinson, embora a visão da medicina tradicional chinesa acerca dos desequilíbrios (não existem doenças como o mal de parkinson nessa visão – este seria um sintoma de um desequilíbrio interior mais complexo) sugira que o tratamento poderá ir além do que o mero controle ou retardo em sua evolução. Em geral, o cliente observa melhora logo nas primeiras seções.

Arnaldo V. Carvalho é naturopata e ministra cursos por todo o país e também no exterior. Contato: arnaldovc@portalverde.com.br

•: Frases para pensar :•

“A esperança fracassa muitas vezes,
a dor jamais,
por isso alguns crêem que mais vale dor conhecida
que dor por conhecer,
crêem que a esperança é ilusão,
são os iludidos da dor”.

Juan Gelman

•: Afetividade e Calor Humano :•

•: ONG a fora :•

  Capa
Agenda
Notícias
Entrevista
No Portal
Afetividade
Matéria
Vitrine
Para Cuca
Frases
 Pergunte ao ,,,,Terapeuta
Contato
ONG a fora
Receita Natural
Gestação ConscienteComo fazer para saber o tempo certo de gravidez? Afinal, os médicos contam em semanas, os leigos contam em meses, e na hora de converter semanas em meses nunca dá certo. Descubra aqui o certo.

Em: www.calorhumano.com.br

A ONG “BANCO DE ALIMENTOS”, tem como objetivo buscar onde sobra e entregar onde falta.

Confira mais no site

•: Portal Verde na Internet :•

•: Expediente :•

Informativo PORTAL VERDE é o informativo virtual da ONG Portal Verde, com sede em Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Telefone para contato: (21) 8217-0001 ou E-mail: faleconosco@portalverde.com.br Agradecimentos de edição:

Leave a comment »

Tem nome que se passa por Sem nome

Farsa de um sorvete que tentou se passar por outro

Por Arnaldo V. Carvalho

Aconteceu em Niterói, RJ. Fui a um supermercado e lá estava o freezer anunciando “Sorvetes Sem Nome” de dois litros n promoção por 9,90. “Sem Nome” foi a marca da sorveteria mais famosa da cidade, no meu tempo de infante e também de adolescente.

Eram duas unidades, uma enorme, que vivia lotada, com seus vários sabores e excelente qualidade. A Sem Nome fechou há anos. Ver aquela chamada do lado de fora do freezer foi como avistar um oásis após tanto tempo no deserto.

As letras eram parecidas com a da antiga sem nome, e o produto anunciava utilizar açúcar orgânico. “Coisa de quem tem qualidade”, pensei. Não titubeei, comprei duas caixas, feliz da vida. Cheguei em casa, abri o sorvete, animado com apresentar a iguaria às minhas filhas. Que decepção! O sorvete não era nada bom. Eu lamentei que a Sem Nome tivesse voltado sem honrar sua qualidade.

“Nem é Sem Nome”, disse uma delas. “É Tem Nome”. Reparando bem, o S na verdade era um T. Eu havia sido enganado, e minhas memórias trataram de ajudar na distorção da letra. Algo estava errado.

Voltei ao mercado na mesma semana. O preço indicava “Sem Nome”. As fotos comprovam que se a marca de sorvete tentou enganar o consumidor e se associar com a antiga,  admirada e falecida “Sem Nome”, conseguiu com a ajuda do próprio supermercado.

Quando a má fé se apropria de uma referência de qualidade, o consumidor é o maior prejudicado

Talvez dê para entender num episódio como esse, o quanto o plágio, a falsificação, a associação indevida entre técnicas, serviços ou produtos diferentes através de um nome em comum ou parecido deve ser combatido.

No final das contas, é o consumidor final o maior prejudicado.

***

Comments (7) »

%d blogueiros gostam disto: