Archive for Fitoterapia

Florais de Bach

Image result for florais de bach

Florais de Bach ajudam a controlar de medo a desalento

Nascido em 24 de setembro de 1886 em Moseley, Inglaterra, Edward Bach cresceu mostrando grande amor pela natureza e um interesse especial em aliviar o sofrimento humano. Exerceu a medicina como clínico, patologista em saúde pública e homeopata. Completou sua obra com a descoberta dos remédios florais. As essências de Bach se dividem em sete grupos:

MEDO:

– Rock Rose
Emergências graves; susto, medo, pânico, terror.

– Mimulus
Medo e temores de coisas conhecidas: da doença, da dor, do escuro, da pobreza. Acanhamento, timidez.

– Cherry Plum
Medo de perder o controle e machucar alguém ou a si mesmo.

– Red Chestnut
Preocupação excessiva com os outros. Medo que aconteçam desgraças às pessoas que ama.

– Aspen
Medos vagos e indefinidos, sem explicação. Ansiedade, apreensão, maus pressentimentos.

INSEGURANÇA

– Cerato
Falta de confiança em si para tomar decisões. Sempre pedindo conselhos aos outros.

– Scleranthus
Incerteza, hesitação. Indecisão diante de duas opções.

– Gentian
Sem fé, dúvida. Desânimo diante do menor imprevisto.

– Gorse
Grande desesperança, desistiu da luta, pessimismo.

– Hornbeam
Sem ânimo para suportar o cotidiano. Deixa tudo para depois.

– Wild Oat
Incerteza e insatisfação quando é difícil escolher uma vocação ou caminho. Não sabe a direção de sua vida.

FALTA DE INTERESSE NO PRESENTE

– Clematis
Indolência, desinteresse. Apatia, desatenção. Vive desligado e sonhando com o futuro.

– Honeysukle
Vive preso às lembranças do passado. Nostalgia, saudade.

– Olive
Exaustão, esgotamento mental ou físico.

– Wild Rose
Conformismo, resignação. Não se esforça por melhorar, nem luta por nada. Apatia.

– White Chestnut
Pensamentos indesejados e persistentes que atormentam.

– Mustard
Melancolia súbita que surge sem explicação; depressão.

– Chestnut Bud
Não aprende com a experiência. Repete sempre os mesmos erros.

SOLIDÃO

– Water Violet
Silencioso, reservado. Orgulhoso, distante, prefere ficar sempre sozinho.

– Impatiens
Irritabilidade e impaciência com a pessoas mais lentas. Ansiedade, tensão mental.

– Heather
Tagarela, detesta ficar sozinho. Tem necessidade de contar seus problemas para todos. Muito preocupado consigo mesmo.

SENSIBILIDADE EXCESSIVA ÀS OPINIÕES ALHEIAS

– Agrimony
Grande angústia interior sob uma superfície alegre, não assume seus sentimentos.

– Centaury
Ansioso por agradar e servir. Descuida de si para ajudar os outros, geralmente é explorado. É fraco, procura sempre alguém forte.

– Walnut
Tem fortes ideais, mas às vezes se deixa levar pelos outros. Necessidade de constância e proteção, principalmente em fases de mudança como puberdade, menopausa, divórcio etc. Corta os laços do passado.

– Holly
Trabalha o amor incondicional, quando sentimos que o amor está bloqueado e não sai de nosso interior.

DESALENTO OU DESESPERO

– Larch
Falta de confiança em si. Sentimentos de inferioridade. Não se arrisca e não se esforça, pois acha que vai fracassar.

– Elm
Momentos de sobrecarga quando parece que as tarefas ultrapassam suas forças.

– Pine
Muito exigente consigo mesmo. Sentimento de culpa e responsabilidade pelas falhas dos outros.

– Sweet Chestnut
Momentos de extrema angústia. Sentimento de haver chegado ao limite.

– Oak
Para pessoas fortes, lutadoras, mesmo doentes nunca desistem. Esquecem do lazer, só pensam em trabalhar e servir.

– Star of Bethehem
Para efeitos de perda ou choque fisico mental ou emocional. Para os que necessitam ser consolados.

– Willow
Amargura, ressentimento.Sente-se injustiçado pela vida, muita tristeza e negativismo.

– Crab Apple
Vergonha de si mesmo. Sentimento de estar “sujo” mental, física ou emocionalmente. Melhora a auto-estima.

PREOCUPAÇÃO EXCESSIVA COM OS OUTROS

– Chicory
Posessivo e superprotetor. Egoísta, cobra tudo o que faz pelos outros.

– Vervain
Eufórico, dono da verdade. Quer converter todas as suas próprias idéias e crenças. Excessivamente esforçado e entusiasmado.

– Vine
Dominador, inflexível, poderoso. Indicado para ser um grande líder, mas pelo seu próprio respeito.

– Beech
Crítico e intolerante com os outros. Atitude julgadora.

– Rock Water
Quer ser um exemplo para os outros. Se nega e se reprime. Muito rígido e austero consigo mesmo e até com os outros.

Fonte: Jornal Século 21 Data: 18.03.99

Leave a comment »

Moxabustão, o poder da combustão de ervas medicinais sobre os pontos de Acupuntura

Moxabustão

https://portalverde.files.wordpress.com/2014/12/e61a1-moxabustao.jpg

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) abarca toda a conceituação de saúde humana oriunda da cultura milenar do povo que hoje habita o continente chinês. A moxabustão é uma de suas técnicas mais antigas, e vale-se de aquecer pontos de energia, os mesmos pontos utilizados pelos acupunturistas (“ponto de acupuntura”).

O nome moxabustão vem da fusão de moxa (artemísia ou “erva”) com bustão (queima). Assim, a moxabustão emprega a queima da erva medicinal “Artemísia vulgaris” próxima ao ponto que se deseja tratar, aquecendo-o. Outras ervas podem ser usadas, ou mesmo o ponto poderia ser aquecido por outros métodos. Mas os terapeutas que lidam com MTC ainda preferem a erva artemísia, pois sua eficiência tem sido comprovada ao longo de pelo menos 5.200 anos.

O aquecimento de determinados pontos de Acupuntura com a Moxabustão é extremamente eficaz para curar e prevenir doenças. Às vezes, a Moxabustão é mais eficaz do que a aplicação da Acupuntura. Outras vezes, as duas técnicas são utilizadas em conjunto.

Existem inúmeros trabalhos no Oriente e Ocidente sobre os estudos clínicos e pesquisas experimentais, demonstrando a eficácia dos resultados terapêuticos da Acupuntura e da Moxa nas doenças do aparelho digestivo, circulatório, respiratório, urinário, sistema imunológico, nervoso, endócrino, bem como nas doenças reumáticas.

Leave a comment »

Ação anti-tumoral e antibiótica reconhecidos no Ipê Roxo

Lapachol e outras naftoquinonas são creditadas como substâncias antitumorais e antibióticas, presentes no Ipê-Roxo (Tabebuia impetiginosa, também chamado de Pau D’arco ou Lapacho e Taheebo). Ele tem um poderoso antioxidante, cuja presença é associada a ahabilidade da plantas de sobreviver em altitudes com grande concentração de ozônio. O Ipê-Roxo também contém indol, que estão presentes na família das crucíferas e são conhecidos por tornarem-se ativos na desintoxicação carcinogênicas e na promoção de atividade anti-oxidante.

18 quinonas fazem parte de seus constituintes mais importantes, incluindo naftoquinonas e antraquinonas, que raramente ocorrem juntos numa mesma planta. As naftoquinonas lapachol, B-lapachona e xiloidona são consideradas importantíssimas. O Ipê-roxo também contém quercetinas, lapachenol, carnosol, indol, coenzyma Q, alcalóides como tecomina, ácidos hidroxibenzóicos, e saponinas. A primeira substância pesquisadas extensivamente foi descoberta em 1956, no Brasil: o lapachol, bactericida. No ano seguinte, a mesma equipe isolou o a- e b-lapachona, e a xyloidona. Esses constituintes são comprovadamente fungicidas e bactericidas.

O Ipê-roxo também demonstra atividades anti-parasitária e anti-virais, e tem se mostrado efetivo como fungicida no tratamento de infestações por Candida albicans e micoses.

(Excerto de artigo publicado por Oswald, Edward H. “Lapacho”. British Journal of Phytoterapy, Vol. 3, No.3, 1993/94, pp 112-117, adaptado por Arnaldo V. Carvalho)

Comments (1) »

Inseticidas naturais

Livre-se de maneira natural de formigas, pulgões, ácaros, e outros animais que estejam infestando seu jardim ou vasos de plantas!

Recebemos por e-mail uma lista de soluções interessantes e naturais para diversas pragas. Para todas elas,
aplique os remédios caseiros com o borrifador até a cura da planta. Quando sentir melhora, dê um intervalo de 15 dias e repita. A partir daí, a aplicação quinzenal preventiva pode ser feita. Não pulverize sob o sol para não queimar as folhas.
1 – ORÉGANO COM VINAGRE

Aqueça o vinagre e faça um “chá de orégano” com ele. Borrife em folhas e caule. A solução detona fungos e repele formigas e alguns tipos de lagarta.chá cavalinha,

2 – CAMOMILA
Chá de camomila fortalece plantas jovens e fracas. Ponha flores num pote e despeje água fervente. Deixe em infusão por 5 minutos. Coe e espere esfriar antes de usar.
3 – HORTELÃ
Chá de hortelã repele insetos, inclusive formigas. Ponha a erva em água, para ferver. Cubra e deixe em infusão por três minutos. Coe e aplique depois de frio.
4 – FUMO DE CORDA
Calda de fumo contra cochonilhas, pulgões, larvas e ácaros. Pique 5 cm de fumo e ponha de molho por 24 horas, em água e 1 colher de álcool. Coe e dilua em água na proporção 1:3.
5 – TOMATEIRO
Chá de folha de tomateiro tem ação inseticida contra pulgões. Ferva um punhado de folhas e de pedacinhos de caule em 1,5 litro de água. Aplique frio.
6 – ALAMANDA
Calda de folhas de alamanda (contra pulgões). Ferva 5 folhas em 1,5 litro de água por 10 minutos. Deixe esfriar e pulverize. Use luvas para manusear as folhas.
7 – SOLUÇÃO DE PIMENTA-MALAGUETA
Indicação: Combate pulgões, vaquinhas, lagartas e grilos.
Ingredientes: 500 g de frutos de pimenta-malagueta (Capsicum frutescens), 4 l de água e 5 colheres (de sopa) de sabão de cocoem pó.
Modo de preparo: bata as pimentas no liquidificador com 2 litros de água até a maceração total. Coe o preparado e misture com o sabão de coco em pó, acrescentando os 2 litros de água restantes. No caso de utilização em espécies frutíferas, obedeça ao período de carência mínima de 12 dias da colheita, para evitar obter frutos com fortes odores.
8 – CALDA DE SABÃO
Indicação: Atua contra pulgões, ácaros, brocas e formigas
Ingredientes: 1 kg de sabão neutro em barra picado, 3 l de querosene e 3 l de água. Modo de preparo: derreta o sabão picado em uma panela com os 3 l de água. Quando estiver completamente fundido, desligue o fogo e acrescente o querosene, mexendo bem. Em seguida, dissolva 1 l dessa emulsão em 15 copos de água e aplique a cada 12 dias.
OUTRAS RECEITAS COM SABÃO
Indicação: Controla cochonilhas e lagartas
Ingredientes: 50 g de sabão de coco em pó e 5 litros de água fervente
Modo de preparo: adicione o sabão de coco em pó na água fervente. Essa solução deve ser pulverizada com frequência no verão e na primavera.
Indicação2: Afasta pulgões, cochonilhas e lagartas
Ingredientes: 1 colher (sopa) de sabão caseiro raspado e 5 litros  de água
Modo de preparo: dissolva na água o sabão caseiro raspado, mexendo bem. Essa calda deve ser aplicada sobre as plantas com o auxílio de pulverizador ou regador.
9 – CONFREI
Indicação: Previne pulgões em hortaliças e frutíferas e ainda funciona como adubo foliar.
Ingredientes: 1 kg de folhas de confrei (Sympriyfum officinale) e água para diluição
Modo de preparo: usando o liquidificador, triture as folhas de confrei com água ou deixe-as em infusão por 10 dias. Acrescente 10 litros de água e pulverize periodicamente as plantas.
10 – EMULSÃO DE ALHO
Indicação: Atua contra fungos, bactérias e pulgões
Ingredientes: 1 kg de alho, 5 litros de água, 100 gr de sabão picado e 20 colheres (café) de óleo mineral
Modo de preparo: moa bem fino os dentes de alho e deixe-os repousando por 24 horas no óleo mineral. Em outro recipiente, dissolva o sabão picado na água, de preferência quente. Depois, acrescente a emulsão de alho. Antes de usar, filtre e dilua a mistura em 20 partes de água.
11 – PIMENTA-DO-REINO
Indicação: Repele pulgões, ácaros e cochonilhas
Ingredientes: 100 g de pimenta-do-reino (Piper nigrum) em pó, 1 litro de álcool, 1 litro  de água e 60 g de sabão de coco.
Modo de preparo: durante sete dias, deixe a pimenta-do-reino descansando no álcool. Ferva a água com o sabão de coco. Deixe esfriar e junte as duas soluções. Separe 250 ml, coloque em 10 litros de água e pulverize.
12 – ÓLEO DE NIM
Indicação: Atua contra pulgões, lagartas, cochonilhas, ácaros, brocas, besouros, gafanhotos, nematóides e tripés.
Ingredientes: 10 ml  de  óleo de nim (encontrado em lojas de jardinagem) e 1 litro de água
Modo de preparo: dilua o óleo de nim na água e pulverize a planta.
13 – CHÁ DE CAVALINHA
Indicação: Afugenta insetos nocivos em geral
Ingredientes: 10 g de cavalinha (Equisetum arvense ou E. giganteum) seca ou 30 g de cavalinha verde, 1 litro de água para maceração e 9 litros de água para diluição.
Modo de preparo: ferva as folhas de cavalinha em 1 litro de água por 20 minutos. Dilua a calda resultante em 9 litros de água.
14 – CRAVO-DE-DEFUNTO
Indicação: Afasta pulgões, ácaros e algumas lagartas.
Ingredientes: 1 kg de folhas e/ou talo de cravo-de-defunto (Tagetes sp) e 10 litros de água
Modo de preparo: adicione as folhas e/ou talos de cravo-de-defunto na água. Leve ao fogo e deixe ferver durante meia hora, ou então pique e deixe de molho por dois dias. Coe o caldo obtido.
15 – MACERADO DE URTIGA
Indicação: Aumenta a resistência da planta e combate os pulgões.
Ingredientes: 500 g de urtiga (Urfica dioica) fresca ou 100 g de urtiga seca e 10 litros de água.
Modo de preparo: coloque a urtiga fresca ou seca na água por dois dias ou deixe curtir por 15 dias. Para a primeira forma de preparo, a aplicação pode ser imediata sobre as plantas atacadas. Para a segunda, deve ser diluída, sendo uma parte da solução concentrada para 10 partes de água.
16 – EMULSÃO DE ÓLEO
Indicação: Eficiente contra cochonilhas
Ingredientes: 2 litros de água, 1 kg de sabão comum (em pedra ou líquido) e 8 litros de óleo mineral.
Modo de preparo: pique o sabão (se for pedra), misture com o óleo e a água e leve ao fogo, mexendo sempre, até que levante fervura.  A mistura deve adquirir consistência de pasta. Guarde-a em um pote bem tampado e, na hora da aplicação, dissolva cerca de 50 g da pasta em água morna e dilua tudo em 3 litros de água.
17 – CALDA BORDALESA
Indicação: Controla fungos e bactérias
Ingredientes: um saco de pano, 100 g de sulfato de cobre (encontrado em lojas de jardinagem), 100 g de cal virgem, 10 litros de água e 2 recipientes plásticos.
Modo de preparo: use apenas recipientes plásticos, pois os metálicos podem reagir com o sulfato de cobre. Usando o saco de pano, prepare um sachê com o sulfato de cobre. Mergulhe-o em 9 litros de água por três a quatro horas, até o sulfato de cobre dissolver. Em outro recipiente, dilua a cal em 1 litro de água e despeje na solução preparada com o sulfato de cobre. Mexa bem. É necessário que a mistura tenha pH neutro ou alcalino. Para identificar, coloque um pouco da solução em uma lâmina de ferro. Se ficar acobreada, é porque está ácida. Para corrigir, dissolva mais cal, até que a lâmina não apresente a tonalidade acobreada.
18 – CALDA DE ENXOFRE
Indicação: Combate e controla alguns fungos
Ingredientes: 30 g de enxofre (encontrado em lojas de jardinagem) e 12 litros  de água.
Modo de preparo: dilua o enxofre em 1 litro de água. Depois de bem dissolvido, complete com o volume restante de água.

Comments (1) »

Conheça a GARCÍNIA CAMBOJA

GARCÍNIA CAMBOJA

Vários profissionais não medem esforços no combate a obesidade e seus
riscos para a saúde. Por ser um tratamento que necessita de disciplina, a
terapia comportamental vem a cada dia mais dando espaço as estratégias
farmacológicas para a redução do peso. Uma área terapêutica que está
sofrendo rápido crescimento é a utilização de produtos à base de ervas.

Um exemplo, é o ácido hidroxicítrico que é o componente ativo de uma
planta nativa da Índia, a Garcínia Cambogia. O ácido hidroxicítrico foi
primeiramente descrito por WATSON e colaboradores no final da década de
60, como um potente inibidor da enzima extra mitocondrial adenosina
trifosfato -citrato-liase. A inibição da clivagem do citrato à enzima
adenosina trifosfato causa inibição da liberação de acetil coenzima A, que
é o substrato necessário para a síntese dos ácidos graxos, inibindo assim
a lipogênese. Subseqüentemente, foi demonstrando tanto in vivo como in
vitro, que o ácido hidroxicítrico em animais, além de inibir a clivagem do
citrato à enzima e a nova síntese dos ácidos graxos, também aumenta a
síntese do glicogênio hepático, causando supressão do apetite e diminuição
do ganho de peso.

Apesar do ácido hidroxicítrico parecer ser um agente promissor no controle
do peso, estudos em humanos são limitados e os resultados contraditórios.
Autor (ano): Conte (1993)2
Amostra: 39 adultos obesos
Dosagem: 500 mg de GCE e 100 g de nicotinato de cromo -3/dia
Duração (sem): 8
Efeitos:  do peso total: GS:  5 kg GP:  1,9 Kg
 5,5% peso total nas mulheres e 4,9% nos homens (p<0,001)

Autor (ano): Badmaev & Majeed apud Heymsfield et al. (1998)3a
Amostra: 55 adultos obesos
Dosagem: 500 mg de GCE e 100 g de nicotinato de cromo -3/dia
Duração (sem): 8
Efeitos:  do peso total: GS:  5 kg GP:  1,9 Kg
 5,5% peso total nas mulheres e 4,9% nos homens (p<0,001)

Autor (ano): Thom (1996)4
Amostra: 60 Indivíduos
Dosagem: 1320 mg/dia de ácido hidroxicítrico dividido em 3 doses, com uma
dieta pobre em gordura com 1200 kcal/dia
Duração (sem): 8
Efeitos:  do peso total: GS:  6,4 kg GP:  3,8 Kg /
 conteúdo de gordura: GS:  87% GP:  80%

Autor (ano): Girola et al. (1996)5
Amostra: 150 Adultos Obesos
Dosagem: 55 mg GCE, 19 mg de cromo e 240 mg de chitosan – 1 ou 2/dia com
uma dieta hipocalórica
Duração (sem): 4
Efeitos:  conteúdo de gordura: GS:  12,5% e 7,9 % GP:
 4,3% (p<0,01)

Autor (ano): Rothacker & Waitman (1997)6
Amostra: 48 Adultos Obesos
Dosagem: 800 mg GCE, 50 mg de cafeína natural e 40 g de picolinato
de cromo – 3/dia com uma dieta de 1200 kcal/dia
Duração (sem): 6
Efeitos:  conteúdo de gordura: GS:  4% GP:  3%

Autor (ano): Ramos et al. Apud Heymsfield (1998)3b
Amostra: 35 Adultos Obesos
Dosagem: 500 mg GCE, 3/dia com uma dieta pobre em gordura com 1000 a 1500
kcal/dia
Duração (sem): 8
Efeitos:  peso total: GS:  4,1  1,8kg GP: 
1,3  0,9kg (p<0,01)
Autor (ano): Kaats et al. apud Heymsfield (1998)3c
Amostra: 186 Indivíduos
Dosagem: 1500 mg/dia de GCE, 600 g/dia de picolinato de Cromo e
1200 mg/dia de L-carnitina com uma dieta pobre em gordura e rica em fibras
Duração (sem): 4
Efeitos:  conteúdo de gordura: GS:  1,2kg GP: 
635g (p<0,01)

* GCE – Extrato de garcínia cambogia; GS – grupo suplementado; GP – grupo
placebo

Como pode ser verificado nos estudos demonstrados no quadro a garcínia
cambogia geralmente é utilizada junto com outro ingrediente, o que pode
contribuir com seus possíveis efeitos na redução do peso.

Outro ponto que deve ser considerado é a dosagem e o tempo de
administração da erva. SULLIVAN et al. (1972) demonstraram que os efeitos
do ácido hidroxicítrico dependem do tempo de administração da erva em
relação a refeição. O efeito máximo do ácido hidroxicítrico é obtido
quando o mesmo é administrado a cerca de 30 a 60 minutos antes da
refeição. Além disso, é postulado que se o ácido hidroxicítrico for
fornecido em doses divididas sua eficácia é maior do que quando
administrado em uma única dose. As doses utilizadas em humanos variam
entre 750 e 1500 mg/dia.

Dos 7 trabalhos descritos, 5 mostraram efeitos significativos da
utilização da garcínia cambogia isoladamente ou em combinação com outros
ingredientes (3a,3b,3c,4,5). Como podemos observar alguns desses estudos
possuem limitações que colocam em dúvida a eficácia da utilização da
garcínia cambogia, como por exemplo: falta de grupo placebo (3),
co-administração da garcínia cambogia em combinação com outros
ingredientes potencialmente ativos (2,3a,5,6), uso de método inadequado de
avaliação da composição corporal (4) e estudos que ainda não foram
publicados (3b,3c).

O extrato da garcínia cambogia, o ácido hidroxicítrico, tem sido
pesquisado desde de 1883, onde procurou-se determinar suas funções e
principais atuações no metabolismo humano. No entanto, muito pouco ainda
se sabe a respeito de seus verdadeiros efeitos fisiológicos, bem como dos
efeitos crônicos causados pela sua suplementação e suas contra-indicações.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. WATSON, J.A. et al. Tricarballylate and hydroxycitrate: substrate and
inhibitor of ATP-citrate oxaloacetate lyase. Arch. Biochem. Biophys, 35:
209-217, 1969.
2. CONTE, AA. A non-prescription alternative on weight reduction therapy.
Am. J. Bariatr. Med., 17-19, 1993.
3. HEYMSFIELD, S.B. et al. Garcinia cambogia (hydroxycitric acid) as a
potential antiobesity agent. JAMA, 280 (18): 1596-1599, 1998.
4. THOM, E. Hydroxycitrate (HCA) in the treatment of obesity. Int. J.
Obes., 20 (S4): 48, 1996.
5. GIROLA, M. et al. Dose effect in lipid-lowering activity of a new
dietary intetrator (chistosan, garcinia cambogia extract, and chrome).
Acta Toxicol. Ther., 17: 25-40, 1996.
6. ROTHACKER, D.Q. et al. Effectiveness of a Garcinia Cambogia and natural
caffeine combination in weight loss: a double-blind-placebo-controlled
pilot study. Int. J. Obes., 21 (S2): 53, 1997.
7. SULLIVAN, A.C. et al. Inhibition of lipogenesis in rat liver by
hydroxycitrate. Arch. Biochem. Biophys. 150: 183-190, 1972.

Leave a comment »

Carta do Prof. Fernando Fratane da ONG ARAR, ligado a doação de remédios caseiros, fitoterápicos e Centro de Cardiologia Pediátrica mantido pela Sociedade Amigos de Coração)

 Caros amigos,

            Em 2011, assumi a presidência da ONG ARAR, Associação Retornando às Raízes, desenvolvemos diversos trabalhos sociais: DOAÇÃO DE REMÉDIOS CASEIROS, REDE DA COMPAIXÃO, DOAÇÃO DE FLORAIS e desde outubro 2011, assumimos um grande trabalho, o CECAPE (Centro de Cardiologia Pediátrica), mantido pela OSCIP (Sociedade Amigos de Coração e ARAR). Somos 90% de voluntários no hospital: farmacêutico, médico pediatra, fonoaudiólogo, terapeutas florais, dentista, psicólogo, um grupo de leitura para crianças que estão internadas, terapia em grupo, vamos começar fazer o teste de olhinho (ganhamos o aparelho), queremos montar um consultório infantil de oftalmologista…
          Segue o email, que estamos enviamos para todos sócios contribuintes ou participantes da SOCIEDADE AMIGOS DE CORAÇÃO e da ARAR e gostaria de contar com sua ajuda.

             Amigos, o ano de 2012 foi de grandes desafios e muitas alegrias. Terminado o nosso convênio com a prefeitura de Niterói, em julho de 2012, fomos arrastando o nosso dinheiro até 31 de dezembro, com a promessa de participarmos de um concurso de projetos e aí viria o novo convênio, já que atendemos todas RECÉM NASCIDOS, BEBÊS, CRIANÇAS E JOVENS ATÉ 18 ANOS encaminhados pela prefeitura. São 1500 crianças sob a nossa responsabilidade.
             Dia 03 de janeiro, encontrei-me no hospital Getulinho, com o novo secretário de saúde de Niterói, Chico d’Ângelo, uma pessoa  bem acessível e muito sincera. Expliquei nossa situação, que não tinha condição para pagar as duas médicas e uma recepcionista, em 05 de fevereiro (salário de janeiro/13). Me disse que assumiu a secretaria sem verbas e sua prioridade era a emergência do Getulinho e descartou o concurso de projetos, para novo convênio. Pediu que ligasse para secretaria e agendasse uma conversa em seu gabinete, pois conhecia nosso trabalho e iria tentar um convênio com instituições para nos ajudar. Alegou que somos ONG e por isso não poderia firmar convênio com a prefeitura, aleguei que nossas médicas atendem crianças encaminhadas pela prefeitura e esta tinha o dever de nos ajudar a manter o atendimento. Ainda não conseguimos agendar a reunião em seu gabinete.
              Poderíamos a partir dessa conversa, avisar os pacientes que voltassem com seus filhos, pois não temos condições de pagar as médicas. Nossa conduta sempre foi “sentir a dor do outro e fazer algo para aliviar e acolher a sua dor”, isso é a definição de COMPAIXÃO. Nossa agenda de janeiro, das crianças, está cheia, já temos pacientes agendados para revisão em junho/13. Se hoje nascer na maternidade da prefeitura, Alzira Reis, uma criança com suspeita de doença cardíaca é para CECAPE (nosso Centro de Cardiologia Pediátrica), que vão ligar e agendar com urgência um Ecocardiograma. Não fazemos política partidária, partida, o nosso compromisso é com a vida.
               Mais uma vez precisamos, juntos e sempre juntos, resolvermos esse problema. Resolvemos enxugar, até demais, nossas contas. Precisamos de R$ 5.000,00, para pagamento da recepcionista, 2 médicas, tel, e outras pequenas despesas. Lembrando que somos 90% voluntários. O principal patrocinador de nosso trabalho é o coração de cada voluntário.
               Já ganhamos uma bicicleta, na caixa, para rifarmos. Precisamos de um lugar em Niterói para organizamos um almoço, uma tarde dançante, um show musical, um teatro, recital de poesias, enfim qualquer ideia é bem vinda, Vamos pensar e trazer sugestões dia 19.01.2013, sábado, às 9:00h, na nossa sede, dentro do Getulinho, Alameda São Boaventura, s/nº-  Fonseca – Niterói – Tel: 2625-6896 (CECAPE).
               Não é hora de críticas, é hora de trabalhar. Confio e sempre confiei nos dois lados da vida. Nosso compromisso é com 1500 crianças. Sempre conseguimos superar nossas dificuldades
               Aqueles que já contribuem financeiramente, continuem. Aqueles que quiserem começar a contribuir ou pedir amigos, parentes que possam ajudar financeiramente, segue o número de nossa conta. BANCO DO BRASIL, Ag. 2907-6  c/c 5358-9, em nome da Sociedade Amigos de Coração.
              Aproveito, para avisar. Estamos precisando de voluntários;
– para limpeza do nosso hospital,
– leitura para crianças internadas (a partir de janeiro todo mês vamos distribuir livros),
– enfermeira ou médica para fazer teste do olhinho
– assistente social
– ajuda nos eventos…
Aguardamos todos em nossa reunião. Não é uma tarefa simples PEDIR mas, nossa VONTADE é maior que tudo. Confio em todos.
” Nenhum de nós é tão bom, quanto todos nós juntos”.
Qualquer esclarecimento: Fernando Fratane: 4119-2921 e 6962-0375 ou por esse e.mail.

Comments (2) »

Finalmente relançado, o livro Possangaba é uma pérola sobre o pensamento médico popular no Brasil

“As plantas brasileiras não curam, fazem milagres.” Martius (1794-1868)

CARRARA, Douglas: PossangabaO livro “POSSANGABA – O PENSAMENTO MÉDICO POPULAR foi relançado em outubro no III Congresso Brasileiro de Naturopatia e Iridologia.

De autoria do renomado antropólogo, botânico e pesquisador de plantas medicinais Douglas Carrara, a obra é resultado de pesquisa promovida pela Fundação Oswaldo Cruz no início da década de 80.

 

A mesma foi realizada na região do Grande Rio, especialmente, no município de Magé – RJ, principal fonte de dados utilizados por Carrara. Ele publica um material raro, com entrevistas realizadas junto aos usuários e praticantes da medicina popular, tais como, mateiros, raizeiros, parteiras, rezadores e umbandistas, e identificação científica de plantas medicinais utilizadas por esses personagens da sociedade.

Depois de um longo estudo do material recolhido, foi submetido possível elaborar uma história terapêutica de cada substância, assim como para avaliar o grau de continuidade e permanência da medicina popular ao longo do tempo. A partir deste alicerce histórico, O Prof. Douglas pôde oferecer ao público informações de valor inestimavel, marcado por harmonia entre rigor metodológico e preocupação de registrar a lógica de um pensamento pouco estudado, oprimido e desprezado, apesar de sua incomensurável contribuição para a história da medicina e da farmácia.

Basta lembrar da quina-do-Peru, da penicilina (fungos), do curare indígena, das vacinas, da dedaleira (digitalis), da sapucainha, da pervinca, do guaraná, da noz de cola, da ipecacuanha, do boldo, do salgueiro branco, da andiroba, do avelós, do ipê-roxo, da mamica-de-cadela, da copaíba, da baleeira, da espinheira-santa, do nim, do chapéu-de-couro, da romã, da graviola, da garra-do-diabo, da unha-de-gato, do guajiru, do jaborandi, do urucum, da salsaparrilha, do jatobá, da marapuama, da moringa, do aguapé, do gengibre, do mulungu, do melão-de-São-Caetano, do guiné-pipiu, da erva-de-Santa-Maria, para lembrar apenas dos mais notáveis medicamentos de origem popular e usados até hoje pela medicina científica, tanto por alopatas como por homeopatas e por fitoterapeutas.

Todas essas substâncias e muitas outras, sem exceção, tem origem na medicina popular ou nativa do mundo inteiro. Todas são o resultado de uma experiência e vivência milenar com o uso de plantas medicinas para restaurar a saúde humana e animal.

Recomendamos a leitura de Possangaba, acreditando que com isso é possível a mente urbana brasileira compreender um pouco mais que por trás de crenças e costumes não há irracionalidade, mas uma lógica própria, legítima, e repleta de uma sabedoria profunda que muitas vezes não se percebe em nossos grupos culturais da cidade grande.

Comments (2) »

%d blogueiros gostam disto: