Massagem Rítmica ou Antroposófica

Image result for massage ita wegman

MASSAGEM RÍTMICA ou ANTROPOSÓFICA

É uma alternativa terapeutica dentro da Medicina Antroposófica do médico Rudolf Steiner, que surgiu nos anos 20 e se baseia nos cinco toques da massagem sueca.

Na verdade Steiner apenas inaugurou os cursos de massagem rítmica do Instituto Clínico-Terapêutico de Arlesheim, Suíça, pois a inovação foi atribuida à Dra. Ita Wegman, diplomada em massagem sueca.

O que existe de novo neste tipo de massagem é a lemniscata e o ritmo como fundamento de todo reestabelecimento.

Não é possível entender o fundamento da massagem rítmica sem antes conhecermos as bases da medicina antroposófica, já que a primeira é fruto da segunda. O método Steiner entendeu o real valor da massagem, a ponto de dizer que a massagem correta poderá em alguns casos substituir o bisturi do cirurgião.

Na massagem rítmica, o ritmo manual sobre o corpo é o elemento básico da cura. Segundo o Dr. Steiner, o ritmo produz o equilíbrio no organismo humano, conforme ele próprio descreveu pela primeira vez em 1917, em seu livro Von Seelenraetseln (“Do Enigma Anímico”). Para o fundador da Medicina Antroposófica, o organismo humano baseia-se numa triplice divisão funcional: o homem corpo, o homem alma, e o homem espírito.

Fragmento do livro de René Marcos Orsi, “Massagem – A Terapia dos Deuses”

Comments (1) »

Anma

Image result for anma

Anma: Arte Milenar de Massagem,

Mãe de todas as técnicas conhecidas no mundo

Por André Sangez

A origem do An Ma remonta à China, há 5000 anos, durante as dinastias Zhou e Qin, à época do Imperador Amarelo.

É a técnica mais antiga praticada na Ásia, tendo influenciado o desenvolvimento de várias outras, como a massagem sueca, o shiatsu e a tui-ná.

Da China, a técnica, antes denominada An Mo, migrou para a Coréia, há cerca de 2000 anos, onde começou a ser chamada de An Ma.

Há 1700 anos, chegou ao Japão, onde obteve grande desenvolvimento, sobretudo devido ao trabalho de terapeutas cegos, que tornaram a técnica mais relaxante e confortante.

O método adotado é utilizado há mais de 300 anos, pela família de Mochizuki Sensei.

Na técnica do An Ma, o corpo é submetido a estímulos através de manobras como o deslizamento, a rotação, o amassamento, a vibração e a rolagem com o objetivo de relaxar os tendões, que por sua vez relaxarão os músculos, que soltaram os ossos. Assim, recupera-se a simetria estrutural que reflete um corpo saudável e preparado para o stress do dia-a-dia.

***

Leave a comment »

RPG/RPM

O QUE É RPG/RPM

A Reeducação Postural Global pelo reequilíbrio proprioceptivo muscular (RPG/RPM) é um método de tratamento criado na França que combate a dor e o desconforto causados por alterações posturais. Dentre seus benefícios, além do combates a dor, melhora o funcionamento do sistema respiratório e realinha a coluna, proporcionando liberdade, leveza de movimentos e uma melhor qualidade de movimentos e uma melhor qualidade de vida.

INDICAÇÕES
O RPG/RPM é indicado para pessoas de todas as idades, com problemas que afetem o sistema osteomuscular: dores na coluna, lesões por esforço repetitivo (LER), bursites, torcicolos, desvios nos pés e joelhos, enxaquecas, tendinites, hérnia de disco, entre outros. É ainda poderosa ferramenta de prevenção em processos degenerativos, tais como: artoses, reumatismos, etc.

Aplicadas em crianças e jovens, previne as conseuqüências da má postura.

O TRATAMENTO
A RPG/RPM trata o indivíduo como um todo e não só a doença. Cada pessoa tem uma maneira própria de reagir ante as agressões do ambiente (estress, traumatismos), adotando determinados padrões para fugir da dor. Tais padrões adotados resultam em vícios posturais que mais tarde causam as dores, desconfortos e doenças.

É feita uma avaliação minuciosa, one todas as alterações posturais serão conhecidas, e a partir daí, o plano de tratamento será tratado adequadamente. São utilizados alongamentos, tensionamentos, exercícios, pompagens, trações e oito posturas básicas, que permitem que a origem do problemaseja identificada e corrigida. Cada sessão dura em média 1 hora, podendo ser feita uma vez por semana ou mais, dependendo de cada caso.

ÉRIKA MACHADO é fisioterapeuta esepcialista em RPG/RPM.

Leave a comment »

Shantala: Massagem indiana para bebês

 

SHANTALA

A massagem infantil da Índia em perguntas e respostas

Por Fadynha

Related imageO que é Shantala?

A shantala, originária da Índia, nossa “grande mãe”, consiste numa técnica simples, amorosa, mas muito profunda, que sempre foi passada oralmente de mãe para filha. É um carinho com seqüência, técnica, direção, que deve ser repetido no bebê diariamente a partir do primeiro mês de idade. Suas características são o silêncio, a concentração. Eu chamo até de uma meditação, o yoga do bebê. Desenvolve outros tipos de diálogo entre a mãe e o bebê, não verbais. Com os olhos e com as mãos.

Há quanto tempo você atua como instrutora e praticante de shantala?

Eu fui a introdutora da shantala no Brasil, em 1978. São, portanto, 22 anos de muita prática. Atuando com cursos (básicos e avançados), consultas, palestras, reportagens na mídia, aos poucos a shantala foi ganhando espaço e despertando o interesse dos profissionais que trabalham com bebês.

O que motiva as pessoas a aprender shantala?

Acredito que os pais que procuram fazer shantala em seus bebês provavelmente buscam o melhor para eles, bem como vê-los relaxados, tranqüilos, dormindo bem, sem cólicas.

Qual a visão que se tem da difusão da prática da shantala no Ocidente, especialmente no Brasil?

Pessoalmente vejo que a shantala no Ocidente veio num momento extremamente importante, dando continuidade à proposta do parto e nascimento humanizados. Para muitos profissionais no Ocidente a shantala é uma técnica de estimulação, para outros uma terapia. Ela pode ser tudo isso, mas é muito mais. No Brasil, como eu sempre fui a maior divulgadora, chamo atenção para a prevenção de doenças, ao toque que traz inúmeros benefícios a nível de vinculação com a mãe.

Há diferenças entre a prática da shantala aqui e na Índia?

A coisa que mais chama atenção no aspecto cultural é que, lá, é ensinada pelas mães às filhas. Não há literatura, cursos etc. É uma técnica milenar. Aqui, eu coloquei os papais fazendo também. Não vi nada que impedisse, muito pelo contrário, é uma forma de os pais e bebês poderem se curtir mutuamente. É um momento muito especial. Também está bem aceita até nas universidades.

Por que a shantala só é recomendada a partir de um mês de nascido?

A partir de primeiro mês, o bebê já está com a pele mais preparada. Muitas vezes ela descama, troca a pele. Também o umbigo já está cicatrizado. Apesar de ser um toque carinhoso, a shantala tem um toque profundo e forte, não é superficial, faz alongamentos e trabalha a musculatura e as articulações.

Quais são os benefícios da shantala para o bebê?

Os benefícios são inúmeros, desde, como já disse, o aprimoramento do relacionamento mãe/bebê e pai/bebê, até um bom desenvolvimento psicomotor. Elimina gases, cólicas, prisão de ventre, tranqüiliza o sono, gera confiança, e por tudo isso é altamente preventiva. Raramente o bebê que recebe essa massagem diariamente vem a adoecer.

A shantala interfere na formação da personalidade do indivíduo? De que maneira?

Acredito que a shantala pode influir fazendo a criança sentir-se muito amada, plena. E quem recebe amor, provavelmente aprende a amar e retribuir isso ao seu redor. É exatamente aí que eu vejo a conexão com a forma de nascer e o que se pode esperar de mudanças no mundo. É daí que pode vir uma transformação. Serão adultos equilibrados, tranqüilos, inteligentes e que possivelmente contribuirão para a paz no mundo.

Os efeitos da massagem são imediatos?

Os efeitos são imediatos. No mesmo dia o bebê já dorme melhor, as cólicas já diminuem. Só vendo para crer. É realmente uma técnica fantástica. Atua em todos os níveis: físico, emocional, energético e espiritual.

Há contra-indicação?

Só não se deve praticar a shantala quando o bebê está muito doente ou nas crises. É preventiva, mas na hora da crise não dá para aplicar. É preciso que a criança esteja participando, concordando com a prática. Exemplo: na crise de cólica ela chora muito, se contorce. Outra contra-indicação seria para doenças de pele que impeçam o toque. Mas ela é ótima para restabelecer a saúde. Também não deve ser feita na criança com estômago vazio. Não deve estar dormindo, nem com frio.

O que é preciso para praticar?

Somente a mãe pode massagear o seu bebê? É preciso observar a melhor hora do bebê, um local tranqüilo, óleo vegetal apropriado para o frio ou calor. A mãe é realmente a pessoa mais indicada, mas o pai também pode, os familiares e numa creche até um profissional, tudo depende da necessidade e da disponibilidade das pessoas.

Sob um ponto de vista pessoal, qual é a perspectiva em relação à prática da shantala para o futuro?

A perspectiva é que a shantala ganhe cada vez mais espaço. Luto para que todas as crianças possam ser massageadas. Todas têm direito. Estamos em expansão. E aconselho aos pais que, mesmo sem conhecer a técnica, massageiem seus filhos, mesmo intuitivamente. O toque traz saúde em todos os níveis, aproxima, elimina tensões, bloqueios, e proporciona um bem estar incrí vel para os bebês.

O profissional que deseja trabalhar com a shantala deve desenvolver a sensibilidade e o respeito por esse serzinho que está esperando por esta prática. E ter a consciência de que é um privilégio, uma oportunidade de ser um canal e de passar para o bebê o que ele merece, muita paz!

FONTE: SITE VIVER NATURAL
http://www.vivernatural.com.br/terapias/shanta_oque.htm

Leave a comment »

Reiki

Image result for reiki

Reiki

Energia vital e universal em equilíbrio

O reequilíbrio da energia universal com a energia vital. Esta é a proposta do Reiki, uma técnica terapêutica oriental baseada na imposição das mãos. O reequilíbrio energético – acreditam os mestres de Reiki – pode levar à cura de diversas doenças.

Aos poucos, novos nomes estão sendo introduzidos ao cotidiano do homem ocidental. Aos poucos, também, novas terapias, de origem remota no tempo e de outras culturas chegam para proporcionar alívio físico e psicológico. É o caso do Reiki, que está cada vez mais sendo adotado e difundido como opção de cura.

Para entender sua finalidade, é preciso compreender um pouco de seu significado. Reiki é uma palavra de origem japonesa e pode ser traduzida como energia vital universal (rei = universal; ki = energia vital). Rei refere-se à essência energética presente em todas as coisas e que circunda todos os lugares; ki é a energia que circunda nossos corpos, fazendo com que se mantenham vivos. Essa energia está presente em todos os organismos vivos.

Sendo assim, Reiki é um sistema de cura natural, que não requer nenhum instrumento especial para sua prática. É uma freqüência de energia universal, tido como a mais alta freqüência da energia vital universal, não polarizada. O organismo humano é polarizado e através dos meridianos a energia do nosso corpo flui. Quando a energia de Reiki entra no organismo ela se polariza à medida da necessidade desse organismo e se torna elétrica ou magnética. Por isso, Reiki é chamado de energia inteligente: sabe o que faz e como faz e cura na medida em que a pessoa precisa ser curada. Ou seja, a energia de Reiki desbloqueia nosso campo energético, promovendo o equilíbrio.

“Mais do que isso, Reiki trata doenças físicas – dores, enxaqueca, depressão, estresse, dor de cabeça, síndrome do pânico, fobias, ansiedade -, mas seu princípio não é tratar somente o físico”, pondera a terapeuta Inês Parente. Existe no universo para levar um nível maior de compreensão das pessoas, é um processo de expansão da consciência e quando a pessoa expande sua consciência atinge a cura, seja ela mental, emocional ou física.

“Reiki não é a ciência da doença e sim a ciência da saúde, que muda as pessoas, melhora a qualidade de vida, liberta dos padrões negativos, dissolve velhos traumas, limpa e purifica, promovendo um relaxamento profundo”, explica Gilênio Braga, Reiki III-A, e membro da Associação Brasileira de Reiki. “Também não é religião, filosofia de vida, seita. É absolutamente não dogmático. É um processo de expansão da consciência e por isso se torna sistema de cura natural. Nossas mãos são canais por onde toda a energia do nosso corpo sai, por onde nos expressamos, acalentamos, brigamos. A mão é a extensão do coração e é através das mãos que se aplica o Reiki”, complementa o especialista.

Para se iniciar um trabalho com Reiki o terapeuta marca quatro sessões consecutivas, para que haja a harmonização total dos níveis emocional, físico e mental. Somente após essas quatro sessões o especialista pode prescrever mais sessões de Reiki.

Níveis do Reiki

A única coisa necessária para que uma pessoa pratique Reiki é que ela tenha sido iniciada por um mestre e professor qualificado. O Reiki é aprendido em níveis e qualquer pessoa pode aprender o primeiro nível. Níveis:

Reiki I – O interessado aprende os princípios do Reiki
Reiki II – O interessado aprende técnicas que possibilitam você transcender tempo e espaço – o espaço pode ser curto como do outro lado do Planeta
Reiki III-A – O interessado se torna mestre de si mesmo, também chamado mestre praticante. Aprende como fazer Reiki de multidão e se torna responsável por tudo o que está acontecendo no Planeta
Reiki III-B O professor, aquele que vai iniciar outras pessoas no Reiki

Os cinco Princípios do Reiki

Somente por hoje – Não te preocupes
Somente por hoje – Não te enraiveças
Somente por hoje – Honra teus pais, mestres e amigos e come teus alimentos com gratidão
Somente por hoje – Trabalhas honestamente
Somente por hoje – Sê gentil e grato com todos os seres do universo

Bíblia e cristianismo inspiraram técnica

O cristianismo e a Bíblia foram as ferramentas teóricas básicas para a criação do Reiki. O padre japonês Mikao Usui, nascido no século passado, foi o responsável pelo desenvolvimento desta técnica terapêutica.

Se a arte de colocar as mãos no corpo humano para confortar e diminuir a dor é instintiva, seu estudo tem história. E tem seus registros na Bíblia que foi resgatada por Mikao Usui, um padre católico nascido no Japão em 1865, de quem se tem uma série de informações e poucos registros oficiais. Além de padre, Mikao ensinava em uma universidade cristã em Kyoto e ouvia e lia muito sobre as histórias de Jesus que fazia curas e milagres pelo uso das mãos.

Das histórias registradas na Bíblia e as discussões com seus alunos, que queriam saber se as curas poderiam ser realizadas também por outras pessoas, Mikao foi em busca de respostas às dúvidas matriculando-se na Universidade de Chicago, no seminário teológico, onde estudou teologia, cristianismo e a Bíblia. Sete anos depois doutorou-se em teologia, estudou línguas antigas, incluindo sânscrito e chinês, para ler as antigas escrituras.

De volta ao Oriente, mergulhou fundo nas bibliotecas budistas e durante sete anos peregrinou à procura das Antigas Escrituras nas bibliotecas e monastérios. Foi estudar os Sutras no Tibete. Escritos há mais de 2.500 anos, os Sutras acionavam uma energia poderosa que poderia levar a um ilimitado poder de cura. Faltava a Mikao, no entanto, a fórmula de como usá-la.

Em 1908, o pesquisador decidiu fazer um período de 21 dias de jejum e meditação no Monte Kurama, a montanha sagrada do Japão, com o objetivo de purificar-se para receber uma visão que o fizesse entender todos esses mistérios. Com as fronteiras da sua consciência ampliadas, na madrugada do 21° dia de jejum Mikao Usui teve uma visão profunda dos símbolos sagrados e através da comunicação que recebia foi-lhe dada a compreensão dos significados dos símbolos e a sua utilização.

Era seu momento de iniciação, do conhecimento de como utilizar os símbolos e de como ativar o poder em outras pessoas, resgatando o método milenar de terapia. A partir daí, Mikao Usui começou a usar o Reiki (rei = universal; ki = energia vital) e a divulgar o seu uso e benefícios por todo o mundo. (Marisa A. de Brito Xavier)

Mais sobre o Reiki

– O Reiki se encontra ao alcance de todos, inclusive crianças, anciãos e pessoas doentes. Todos podem ser um canal de Reiki. Não existe limite de idade nem condição prévia.
– O treinamento da técnica não é demorado, podendo cada nível ser ensinado em seminários de apenas um dia.
– A técnica é segura, sem efeitos colaterais ou contra-indicação, sendo compatível com qualquer outro tipo de terapia ou tratamento.
– Reiki não é um sistema religioso, filosófico, com restrições ou tabus. Não utiliza talismãs, preces, mentalizações, visualizações, fé ou qualquer objeto para sua aplicação prática.
– A técnica não fica obsoleta. É a mesma há milhares de anos.
– Após a sintonização energética ocorrida durante o seminário, você poderá aplicar Reiki, imediatamente, pelo resto da sua vida, mesmo que por um longo período não o faça, não havendo necessidade de nova ativação para o mesmo nível.
– A energia não é polarizada, sem positivo ou negativo (yin e yang).
– Reiki não é como ondas radiofônicas. Pode ser aplicado no local ou à distância, com sucesso.
– Rompe o tempo e o espaço, permitindo dessa forma reprogramar eventos passados e coordenar eventos futuros.
– A energia não é manipulativa. O praticante simplesmente coloca as mãos e a energia flui na intensidade e na qualidade determinada por quem a recebe.
– Não é necessário despir o paciente durante a aplicação, pois a energia flui na intensidade e na qualidade determinada por quem a recebe.
– Reiki é a luz que vai curar, não precisa ter fé, entender ou sentir sua energia.
– O terapeuta não precisa conhecer o diagnóstico da patologia para efetuar com sucesso o tratamento.
– Reiki energiza e não desgasta o praticante, pois a técnica não se utiliza do “Chi” ou “Ki” do praticante e sim da energia vital do universo.
– Reiki é um recurso para equilibrar os sete principais chakras, que estão localizados na base da coluna ao alto da cabeça.
– Reiki alivia rapidamente dores físicas.
– Atende a pessoa de forma holística, nos corpos físico, emocional, mental e espiritual, não visando apenas a supressão da patologia, mas a volta a um estado natural e desejável de bem-estar e felicidade.
– Reiki serve para o auto-tratamento, tratamento de outras pessoas, plantas e animais igualmente.
– Reiki não substitui outros tratamentos, terapias, médicos, cirurgias. Trabalha com energia para equilibrar corpo. É coadjuvante do tratamento.
– A prática do Reiki está inserida no contexto das práticas terapêuticas alternativas reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
– No Brasil estima-se em 10 mil pessoas iniciadas em Reiki pela Associação Brasileira de Reiki.

Fonte: Reiki Universal – Sistema Usui, Tibetano, Osho e Kahuna, mestre Johnny De’ Carli

Bursite tratada com Reiki

Uma dor que começou aos poucos. E foi piorando. Consulta daqui, fisioterapia dali, mas nada de o ombro ficar sem dor. A bursite, diagnosticada por um especialista, transformou-se em tendinite e para piorar a situação o tendão acabou sendo rompido. Conclusão: a corretora de imóveis Ana Maria Nogueira, 53 anos, já não conseguia mover o braço e amargava uma dor intensa e contínua. Durante dez anos foi este o seu calvário.

Como não havia solução para o problema, a indicação da cirurgia foi inevitável. Mas, antes de entrar no hospital, Ana Maria tomou conhecimento do Reiki através de um psicólogo amigo. Como faria tudo para aliviar suas dores, deixou a descrença de terapias alternativas de lado e procurou Lúcia Dassano. Foi e ficou satisfeita com o resultado logo na primeira consulta. O alívio foi imediato. Persistente, Ana Maria não deixou de ir a uma sessão nos dois meses que antecederam a cirurgia e muitas outras vezes após.

Reiki, no seu caso, ajudou na preparação da cirurgia e na cicatrização. Os três meses recomendados pelo médico para que mantivesse o braço praticamente imobilizado foram reduzidos a dois, o que Ana Maria credita ao tratamento alternativo. No seu caso, o Reiki ajudou tanto na parte física quanto na psicológica, já que ela voltou a ter tranqüilidade e calma para enfrentar a dor e suas seqüelas. Depois da cirurgia e do Reiki, Ana Maria deixou de sentir dores e voltou a dirigir, a abotoar a roupa, fazer tarefas cotidianas sem a menor dificuldade. (M.A.B.X.)

Aura e Chakra

O Reiki trabalha com a aura e o chakra:

Aura é um campo de energia que circunda protegendo nosso corpo como um arco-íris. A aura é muito frágil, passível de rupturas, rasgões e até mesmo penetrações. Quando as pessoas ficam física ou mentalmente doentes, suas auras assumem uma aparência manchada ou suja. A aura pode também apresentar vincos, como os de uma camisa pela qual tivesse passado os pneus de um carro. Pode também apresentar círculos, xadrez ou quadrados, indicando vários tipos de doenças. Felizmente, na maioria dos casos, a aura pode ser limpa, restaurando a vitalidade física e mental.

Chakra, em sânscrito, significa “roda”. Chakras são centros de energia existentes em nosso corpo que se encontram num permanente movimento circulatório. Eles podem sofrer lesões como:

– defeitos óbvios (fissuras e malformação)
– falta de conexão com o sistema de energia interno no ponto de origem (espinha)
– falta de alinhamento (posição inclinada).

Quando a energia Reiki é enviada a um chakra lesado, ele entrará num alinhamento correto e as fissuras e compressões serão curadas. O fluxo da Energia Universal de Vida através de um órgão o revitaliza e o capacita a reassumir sua função natural.

Fonte: Caderno Ciência e Saúde – Jornal O Povo (CE) Data: 21.03.99 – Marisa A. De Brito Xavier

Leave a comment »

Rolfing

Image result for rolfing

ROLFING

Terapia de reestruturação da postura

Criado há mais de cinqüenta anos pela bioquímica norte-americana Ida Rolf (1896-1979), o Método Rolfing de Integração Estrutural é um processo terapêutico-educativo, original na sua fundamentação teórica e cientificamente validado, de reestruturação corporal e educação do movimento. Rolf pesquisou profundamente o funcionamento do corpo, analisando em profundidade a influência da gravidade sobre o este, e de que maneira essa força pode desequilibrá-lo ao longo da vida.

Uma de suas descobertas foi a possibilidade de um realinhamento corporal a partir do tecido conectivo chamado fáscia, que sustenta o corpo como um verdadeiro “esqueleto fibroso”. Este tealinhamento possibilita a relação mais harmoniosa com o campo gravitacional, com o corpo encontrando seu eixo perfeito.

As manipulações do Rolfing são muito diferentes da maioria de outras técnicas, por atuarem de forma muito profunda no corpo. Sua massagem não é relaxante, e pode causar dor e desconforto durante o tratamento. Isso acontece porque a pressão e o calor das mãos são necessários para reamoldar a fáscia.

Há duas abordagens da técnica: Rolfing Estrutural e Rolfing Movimento. A primeira é mais conhecida, e aí está sua base teórica. O Rolfing Movimento já promove trabalhos em grupo, e seu foco é autoconhecimento corporal e a postura. Não há manipulação profunda do tecido conjuntivo, e sim toques leves e sugestões de movimentos. A idéia é trazer consciência no andar, sentar, ficar de pé, trabalhar, etc.

O Rolfing é uma terapia estruturada para dez sessões, com manutenção a cada seis meses ou quando for preciso. Dentro dessas três sessões, o terapeuta utiliza nas três iniciais toques mais leves, e as outras já com manipulação profunda.

Texto Adaptado por Arnaldo V. Carvalho, a partir de folder da Rolfin Brasil

Leave a comment »

%d blogueiros gostam disto: