Massagens inspiradas na Terapia Reichiana

MASSAGENS BASEADAS NA TEORIA
DE WILHELM REICH

die ärztin heike buhl über eine therapeutische massageform bei der ...

Wilhelm Reich, discípulo dissidente de Freud, e pai da orgonoterapia, empregava o contato físico direto – que muitos consideram massagem – em sua psicoterapia. Este procedimento baseava-se no fato de Reich ter pesquisado, estudado e formulado sua terapia, através da biologia, e da orgonomia (que é a ciência reichiana da energia vital) que as emoções reprimidas provocam constrições musculares em várias regiões do corpo, formando o que ele denominou “couraça corporal”.

A massagem na terapia reichiana – orgonoterapia, é feita para contato com a pessoa, para conhecer e sentir a sua história biológica, energética e emocional, e também para dar maior fluidez aos anéis de energia que formam o ciclo vital.

Muito embora a eficácia da Massagem Reichiana hoje seja indiscutível, Reich não fixou uma maneira única de praticá-la. Não obstante, muitas de suas técnicas permaneceram e foram desenvolvidas por seguidores seus, mas sem que realmente possam ser consideradas massagens. São pressões, pancadinhas etc., no nível do pescoço, na nuca, da cabeça e de várias regiões do tronco, acompanhadas de uma análise verbal.

A partir das ideias de Reich, muitos terapeutas têm desenvolvido novas técnicas corporais e de massagem, tendo ele expandido sua influência para além da psicoterapia.

Influências

No Rio de Janeiro, o psicólogo e terapeuta reichiano Sylvio Porto foi o pioneiro em ministrar curso de Massagem Reichiana, compilando os métodos sistematizados por Elsworth Baker e Ola Raknes, e depois por Federico Navarro e Felipe Fernandez.

José Goez nos anos 90 passou a dinamizar uma massagem inspirada no trabalho reichiano, denominando-a “Massagem Somática”.

O Prof. Arnaldo V. Carvalho no Rio de Janeiro foi o precursor do Shiatsu Emocional, primeiro estilo de Shiatsu a sofrer influência direta do trabalho de Wilhelm Reich.

Texto original: Fragmento do livro de René Marcos Orsi, “Massagem – A Terapia dos Deuses”.

Revisto e Ampliado por:  Cristina Giese – Terapeuta Reichiana

Complementado por: Arnaldo V. Carvalho

2005

“Massagem em Família”

https://i1.wp.com/nurturingmoves.com/_wizardimages/MassageFamily.jpg

— Aí vai uma colaboração de nossa experiência em casa, temos praticado com resultados muito positivos:

“Massagem em Família”.

Penso que é importante recuperar a massagem no contato familiar e no contato entre amigos, não só como massagem terapêutica.

Atualmente, tudo se transforma em terapia, aprovo e faço massagens terapêuticas, mas acho que podemos criar em nossa cultura o hábito de massagear em casa , temos essa experiência aqui.

Comecei fazendo massagem em minha enteada quando ela tinha medo à noite e não queria dormir sozinha, aí a moda pegou, todo mundo quer massagem em nossa casa.

Isso aumenta nosso contato, facilita as conversas mais intimas, e traz uma relação prazerosa para todos. É bom também porque quando acontece alguma coisa com alguém, todos podem ajudar porque estão habilitados.

Além disso, temos percebido que isso está despertando interesses profissionais nos adolescentes que convivem conosco.

Cristina Giese, Petrópolis 2002, para o site Calor Humano e o Portal Verde

* * *