Reiki

Image result for reiki

Reiki

Energia vital e universal em equilíbrio

O reequilíbrio da energia universal com a energia vital. Esta é a proposta do Reiki, uma técnica terapêutica oriental baseada na imposição das mãos. O reequilíbrio energético – acreditam os mestres de Reiki – pode levar à cura de diversas doenças.

Aos poucos, novos nomes estão sendo introduzidos ao cotidiano do homem ocidental. Aos poucos, também, novas terapias, de origem remota no tempo e de outras culturas chegam para proporcionar alívio físico e psicológico. É o caso do Reiki, que está cada vez mais sendo adotado e difundido como opção de cura.

Para entender sua finalidade, é preciso compreender um pouco de seu significado. Reiki é uma palavra de origem japonesa e pode ser traduzida como energia vital universal (rei = universal; ki = energia vital). Rei refere-se à essência energética presente em todas as coisas e que circunda todos os lugares; ki é a energia que circunda nossos corpos, fazendo com que se mantenham vivos. Essa energia está presente em todos os organismos vivos.

Sendo assim, Reiki é um sistema de cura natural, que não requer nenhum instrumento especial para sua prática. É uma freqüência de energia universal, tido como a mais alta freqüência da energia vital universal, não polarizada. O organismo humano é polarizado e através dos meridianos a energia do nosso corpo flui. Quando a energia de Reiki entra no organismo ela se polariza à medida da necessidade desse organismo e se torna elétrica ou magnética. Por isso, Reiki é chamado de energia inteligente: sabe o que faz e como faz e cura na medida em que a pessoa precisa ser curada. Ou seja, a energia de Reiki desbloqueia nosso campo energético, promovendo o equilíbrio.

“Mais do que isso, Reiki trata doenças físicas – dores, enxaqueca, depressão, estresse, dor de cabeça, síndrome do pânico, fobias, ansiedade -, mas seu princípio não é tratar somente o físico”, pondera a terapeuta Inês Parente. Existe no universo para levar um nível maior de compreensão das pessoas, é um processo de expansão da consciência e quando a pessoa expande sua consciência atinge a cura, seja ela mental, emocional ou física.

“Reiki não é a ciência da doença e sim a ciência da saúde, que muda as pessoas, melhora a qualidade de vida, liberta dos padrões negativos, dissolve velhos traumas, limpa e purifica, promovendo um relaxamento profundo”, explica Gilênio Braga, Reiki III-A, e membro da Associação Brasileira de Reiki. “Também não é religião, filosofia de vida, seita. É absolutamente não dogmático. É um processo de expansão da consciência e por isso se torna sistema de cura natural. Nossas mãos são canais por onde toda a energia do nosso corpo sai, por onde nos expressamos, acalentamos, brigamos. A mão é a extensão do coração e é através das mãos que se aplica o Reiki”, complementa o especialista.

Para se iniciar um trabalho com Reiki o terapeuta marca quatro sessões consecutivas, para que haja a harmonização total dos níveis emocional, físico e mental. Somente após essas quatro sessões o especialista pode prescrever mais sessões de Reiki.

Níveis do Reiki

A única coisa necessária para que uma pessoa pratique Reiki é que ela tenha sido iniciada por um mestre e professor qualificado. O Reiki é aprendido em níveis e qualquer pessoa pode aprender o primeiro nível. Níveis:

Reiki I – O interessado aprende os princípios do Reiki
Reiki II – O interessado aprende técnicas que possibilitam você transcender tempo e espaço – o espaço pode ser curto como do outro lado do Planeta
Reiki III-A – O interessado se torna mestre de si mesmo, também chamado mestre praticante. Aprende como fazer Reiki de multidão e se torna responsável por tudo o que está acontecendo no Planeta
Reiki III-B O professor, aquele que vai iniciar outras pessoas no Reiki

Os cinco Princípios do Reiki

Somente por hoje – Não te preocupes
Somente por hoje – Não te enraiveças
Somente por hoje – Honra teus pais, mestres e amigos e come teus alimentos com gratidão
Somente por hoje – Trabalhas honestamente
Somente por hoje – Sê gentil e grato com todos os seres do universo

Bíblia e cristianismo inspiraram técnica

O cristianismo e a Bíblia foram as ferramentas teóricas básicas para a criação do Reiki. O padre japonês Mikao Usui, nascido no século passado, foi o responsável pelo desenvolvimento desta técnica terapêutica.

Se a arte de colocar as mãos no corpo humano para confortar e diminuir a dor é instintiva, seu estudo tem história. E tem seus registros na Bíblia que foi resgatada por Mikao Usui, um padre católico nascido no Japão em 1865, de quem se tem uma série de informações e poucos registros oficiais. Além de padre, Mikao ensinava em uma universidade cristã em Kyoto e ouvia e lia muito sobre as histórias de Jesus que fazia curas e milagres pelo uso das mãos.

Das histórias registradas na Bíblia e as discussões com seus alunos, que queriam saber se as curas poderiam ser realizadas também por outras pessoas, Mikao foi em busca de respostas às dúvidas matriculando-se na Universidade de Chicago, no seminário teológico, onde estudou teologia, cristianismo e a Bíblia. Sete anos depois doutorou-se em teologia, estudou línguas antigas, incluindo sânscrito e chinês, para ler as antigas escrituras.

De volta ao Oriente, mergulhou fundo nas bibliotecas budistas e durante sete anos peregrinou à procura das Antigas Escrituras nas bibliotecas e monastérios. Foi estudar os Sutras no Tibete. Escritos há mais de 2.500 anos, os Sutras acionavam uma energia poderosa que poderia levar a um ilimitado poder de cura. Faltava a Mikao, no entanto, a fórmula de como usá-la.

Em 1908, o pesquisador decidiu fazer um período de 21 dias de jejum e meditação no Monte Kurama, a montanha sagrada do Japão, com o objetivo de purificar-se para receber uma visão que o fizesse entender todos esses mistérios. Com as fronteiras da sua consciência ampliadas, na madrugada do 21° dia de jejum Mikao Usui teve uma visão profunda dos símbolos sagrados e através da comunicação que recebia foi-lhe dada a compreensão dos significados dos símbolos e a sua utilização.

Era seu momento de iniciação, do conhecimento de como utilizar os símbolos e de como ativar o poder em outras pessoas, resgatando o método milenar de terapia. A partir daí, Mikao Usui começou a usar o Reiki (rei = universal; ki = energia vital) e a divulgar o seu uso e benefícios por todo o mundo. (Marisa A. de Brito Xavier)

Mais sobre o Reiki

– O Reiki se encontra ao alcance de todos, inclusive crianças, anciãos e pessoas doentes. Todos podem ser um canal de Reiki. Não existe limite de idade nem condição prévia.
– O treinamento da técnica não é demorado, podendo cada nível ser ensinado em seminários de apenas um dia.
– A técnica é segura, sem efeitos colaterais ou contra-indicação, sendo compatível com qualquer outro tipo de terapia ou tratamento.
– Reiki não é um sistema religioso, filosófico, com restrições ou tabus. Não utiliza talismãs, preces, mentalizações, visualizações, fé ou qualquer objeto para sua aplicação prática.
– A técnica não fica obsoleta. É a mesma há milhares de anos.
– Após a sintonização energética ocorrida durante o seminário, você poderá aplicar Reiki, imediatamente, pelo resto da sua vida, mesmo que por um longo período não o faça, não havendo necessidade de nova ativação para o mesmo nível.
– A energia não é polarizada, sem positivo ou negativo (yin e yang).
– Reiki não é como ondas radiofônicas. Pode ser aplicado no local ou à distância, com sucesso.
– Rompe o tempo e o espaço, permitindo dessa forma reprogramar eventos passados e coordenar eventos futuros.
– A energia não é manipulativa. O praticante simplesmente coloca as mãos e a energia flui na intensidade e na qualidade determinada por quem a recebe.
– Não é necessário despir o paciente durante a aplicação, pois a energia flui na intensidade e na qualidade determinada por quem a recebe.
– Reiki é a luz que vai curar, não precisa ter fé, entender ou sentir sua energia.
– O terapeuta não precisa conhecer o diagnóstico da patologia para efetuar com sucesso o tratamento.
– Reiki energiza e não desgasta o praticante, pois a técnica não se utiliza do “Chi” ou “Ki” do praticante e sim da energia vital do universo.
– Reiki é um recurso para equilibrar os sete principais chakras, que estão localizados na base da coluna ao alto da cabeça.
– Reiki alivia rapidamente dores físicas.
– Atende a pessoa de forma holística, nos corpos físico, emocional, mental e espiritual, não visando apenas a supressão da patologia, mas a volta a um estado natural e desejável de bem-estar e felicidade.
– Reiki serve para o auto-tratamento, tratamento de outras pessoas, plantas e animais igualmente.
– Reiki não substitui outros tratamentos, terapias, médicos, cirurgias. Trabalha com energia para equilibrar corpo. É coadjuvante do tratamento.
– A prática do Reiki está inserida no contexto das práticas terapêuticas alternativas reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
– No Brasil estima-se em 10 mil pessoas iniciadas em Reiki pela Associação Brasileira de Reiki.

Fonte: Reiki Universal – Sistema Usui, Tibetano, Osho e Kahuna, mestre Johnny De’ Carli

Bursite tratada com Reiki

Uma dor que começou aos poucos. E foi piorando. Consulta daqui, fisioterapia dali, mas nada de o ombro ficar sem dor. A bursite, diagnosticada por um especialista, transformou-se em tendinite e para piorar a situação o tendão acabou sendo rompido. Conclusão: a corretora de imóveis Ana Maria Nogueira, 53 anos, já não conseguia mover o braço e amargava uma dor intensa e contínua. Durante dez anos foi este o seu calvário.

Como não havia solução para o problema, a indicação da cirurgia foi inevitável. Mas, antes de entrar no hospital, Ana Maria tomou conhecimento do Reiki através de um psicólogo amigo. Como faria tudo para aliviar suas dores, deixou a descrença de terapias alternativas de lado e procurou Lúcia Dassano. Foi e ficou satisfeita com o resultado logo na primeira consulta. O alívio foi imediato. Persistente, Ana Maria não deixou de ir a uma sessão nos dois meses que antecederam a cirurgia e muitas outras vezes após.

Reiki, no seu caso, ajudou na preparação da cirurgia e na cicatrização. Os três meses recomendados pelo médico para que mantivesse o braço praticamente imobilizado foram reduzidos a dois, o que Ana Maria credita ao tratamento alternativo. No seu caso, o Reiki ajudou tanto na parte física quanto na psicológica, já que ela voltou a ter tranqüilidade e calma para enfrentar a dor e suas seqüelas. Depois da cirurgia e do Reiki, Ana Maria deixou de sentir dores e voltou a dirigir, a abotoar a roupa, fazer tarefas cotidianas sem a menor dificuldade. (M.A.B.X.)

Aura e Chakra

O Reiki trabalha com a aura e o chakra:

Aura é um campo de energia que circunda protegendo nosso corpo como um arco-íris. A aura é muito frágil, passível de rupturas, rasgões e até mesmo penetrações. Quando as pessoas ficam física ou mentalmente doentes, suas auras assumem uma aparência manchada ou suja. A aura pode também apresentar vincos, como os de uma camisa pela qual tivesse passado os pneus de um carro. Pode também apresentar círculos, xadrez ou quadrados, indicando vários tipos de doenças. Felizmente, na maioria dos casos, a aura pode ser limpa, restaurando a vitalidade física e mental.

Chakra, em sânscrito, significa “roda”. Chakras são centros de energia existentes em nosso corpo que se encontram num permanente movimento circulatório. Eles podem sofrer lesões como:

– defeitos óbvios (fissuras e malformação)
– falta de conexão com o sistema de energia interno no ponto de origem (espinha)
– falta de alinhamento (posição inclinada).

Quando a energia Reiki é enviada a um chakra lesado, ele entrará num alinhamento correto e as fissuras e compressões serão curadas. O fluxo da Energia Universal de Vida através de um órgão o revitaliza e o capacita a reassumir sua função natural.

Fonte: Caderno Ciência e Saúde – Jornal O Povo (CE) Data: 21.03.99 – Marisa A. De Brito Xavier

O que é Reiki?

O que é Reiki?

Por Luiz Eduardo Parreiras, Reiki Master

Reiki é a antiga arte de cura pela imposição das mãos, redescoberta no Japão, no século XIX, pelo Dr. Mikao Usui, um monge cristão de origem japonesa.

Reiki é uma palavra japonesa que significa “energia vital universal”. O espaço que nos envolve _ o universo _ vive impregnado de energia infinita e inesgotável. E é esta energia que nos mantém vivos.

O Reiki constitui, portanto, esta energia de cura natural, que passa a fluir de forma poderosa e concentrada pelas mãos do terapeuta Reiki.

No sistema Usui de Reiki, a energia curativa é conduzida pela imposição das mãos de forma espontânea e descontraída. A energia Reiki atravessa todo e qualquer material, assim como tecidos, gesso, curativos, metais, etc.

Reiki constitui uma grande ajuda para todos que se dedicam ás profissões de cura, como médicos, enfermeiras, fisioterapeutas, psicólogos, enfim toda e qualquer pessoa que se dedique a curar os outros.

Reiki ajuda a equilibrar o corpo e a mente e atua em todos os níveis: físico, emocional, mental e espiritual. O Reiki incentiva a auto cura, fortalece o corpo e o espírito, libera bloqueios emocionais, desintoxica, harmoniza o indivíduo e não cessa nunca de fluir. Por meio do uso de Reiki a pessoa se transforma e experimenta um grande crescimento emocional e espiritual.

Reiki significa cura de si mesmo, e assim ele o ajuda em sua jornada de descoberta interior. A prática constante de Reiki contribuirá consideravelmente para a renovação de sua energia vital, para sua cura e para seu bem estar físico e mental.

O que o Reiki faz?

 O Reiki passa do terapeuta para o paciente, trabalhando em diferentes níveis. Põe em equilíbrio harmonioso todos os aspectos do ser do paciente, de acordo com suas necessidades e desejos pessoais. Equilibra os órgãos e glândulas e suas funções corporais, libera bloqueios e emoções reprimidas, promove a cura natural do ser, adapta-se ás necessidades naturais do paciente, amplia a consciência pessoal e facilita os estados meditativos, estimula a criatividade, aguça a intuição, trata os sintomas e as causas das doenças (apenas como complemento ao tratamento médico).

Se você é uma pessoa saudável, o Reiki serve para relaxar, reduzir o stress e recuperar a energia pessoal. Se você não está bem, ou se está com algum problema, seja no plano físico, mental, emocional ou espiritual, o Reiki pode ser a chave que lhe permite assumir a responsabilidade pela sua própria cura. Quando usa o Reiki regularmente, você se abre para seus próprios poderes de cura. O Reiki também o ajuda a ter coragem para mudar as coisas de sua vida que você gostaria de mudar.

Como o Reiki afeta as emoções

 Quando você recebe um tratamento de Reiki, suas emoções podem ser profundamente afetadas. Bloqueios emocionais são freqüentemente liberados, e você entra em contato intimo com sentimentos que pode ter reprimido no passado_ talvez tristeza ou raiva. È importante aceitar esses sentimentos. Eles são energias que se transformam em forças criativas logo que você os aceita como seus e lhes dá atenção e expressão.

O Reiki proporciona uma consciência emocional e mental maior dos processos internos. Durante um tratamento de Reiki a mente e o processo do pensamento relaxam. Em geral, você se sente mais lúcido podendo detectar e dissolver crenças negativas, a respeito de si mesmo e de outras pessoas, com que vem se debatendo há muitos anos.

O Reiki o ampara em seu crescimento emocional. As pessoas que se abrem ao Reiki podem chegar a conhecer-se melhor e a desenvolver uma consciência, intuição e percepção mais aguçadas. A experiência mais freqüente durante um tratamento é a sensação de paz, relaxamento e segurança.

Cura emocional

Um profissional que trabalhe com o Reiki aprende uma técnica de cura emocional que chamo de “cirurgia no inconsciente”. Através de determinados símbolos, o terapeuta pode ajudar seu paciente à mudar, transformar padrões de pensamento e comportamentos. Com essa técnica o paciente pode transformar padrões e crenças antigas, crenças estas que não lhe servem mais. Poderá, por exemplo, transformar padrões de insegurança e medo em coragem e autoconfiança. Através dessa técnica de cura , feita pelo terapeuta, o paciente conseguirá remover todo o lixo emocional que esteja lhe incomodando e atrapalhando seu desenvolvimento enquanto pessoa.