Peritos gregos e americanos criticam o limite ao consumo total de gorduras

Peritos gregos e americanos criticam o limite ao consumo total de gorduras


Recomendaçõcs americanas e europeias de que uma dieta saudável é aquela que não contém mais de 30% de gorduras sofreram críticas por parte de nutricionistas no simpósio “Creta, a Grécia e as Dietas Mediterrânicas Saudáveis”, realizado em Creta.

O Dr. Meir Stampfer, Professor Associado de Epidemiologia, na Harvard School of Public Health e Professor Assistente de Medicina, na Harvard Medical School em Boston Massachussets, nos E.U.A, considerou que o limite de 30 por cento poderá ser potencialmente perigoso, na medida que as pessoas tentam reduzir tanto as gorduras nocivas como as gorduras benéficas.

As gorduras possuem aracterísticas diferentes e uma dieta rica em azeite, por exemplo, baixa o colesterol tota e o colesterol LDL (colesterol de lípidos de baixa densidade), sem baixar o HDL (colesterol de lípidos de alta densidade). Isto contrasta com uma dieta de hidratos de carbono refinados, os quais, se forem utilizados como substitutos das gorduras, tendem a baixar o HDL e a subir os triglicéridos. Para além disso, é o LDL oxidado que gera as alterações nas artérias que caracterizam a doença cardíaca. O azeite tem propriedades anti-oxidantes que protegem o LDL da oxidação.

O Dr. Stampfer achou que o limite de 30 por cento do total de gorduras estava a desviar a atenção de questões mais importantes, tais como o aumento da actividade fisíca, a ingestão de legumes e frutas e a redução de ácidos gordos trans e saturados.

“Quando se consideram os efeitos adversos que uma dieta rica em hidratos de carbono exerce sobre os lípidos e os efeitos diferenciais de diferentes gorduras sobre o colesterol e o HDL, não se encontra um apoio generalizado para uma redução no total de gordura, mas antes um bom apoio para a alteração dos tipos de gorduras na dieta”.

A Professora Antonia Trichoupoulou, Professora de Nutrição e Bioquímica na Athens School of Public Health e líder do World Health Organization Collaborating Center for Nutrition, considerou que estas mesmas directrizes “bastante influenciadoras para opinião” estão a ajudar a destruir a sadável dieta Mediterrânica tradicional nos respectivos países de origem, tendencialmente pobres e à adopção das directrizes em vigor noutros países.

Retirado de: The ILIB Handbook for Clinical Practice (1995), com base nas Directrizes da European Atherosclerosis Society e da U.S. National Cholesterol Educational Program

FONTE: Biblioteca Européia de Informação Médica sobre o Azeite

Fatos sobre as GORDURAS

 

FATOS SOBRE AS GORDURAS

• Nem todos os tipos de gorduras são maléficas. Dependendo da saturação, elas podem até ser saudáveis.
• O termo saturação tem a ver com o tipo de fórmula química das gorduras. As gorduras na natureza apresentam-se, geralmente, na forma de ácidos graxos compostos de carbono e hidrogênio.
• A gordura é saturada se a cadeia de carbonos carrega todos os átomos de hidrogênio possíveis.
• A gordura é monoinsaturada se ainda há espaço para dois átomos de hidrogênio.
• É poliinsaturada se mais 4 átomos de hidrogênio podem ser absorvidos.
• As saturadas são geralmente gorduras sólidas animais como o toicinho, a gordura branca ou amarela do boi etc. Exceção: óleo de coco é líquido mas é saturado.
• As gorduras saturadas são responsáveis por infarto, câncer, obesidade e diabete.
• As gorduras mono e poliinsaturadas são geralmente líquidas. Excessão: graxa sólida da baleia é insaturada.
• O segredo está em preferir a ingestão de gorduras poliinsaturadas (óleos vegetais de milho, soja, girassol) e monoinsaturadas (óleo de oliva e canola). As gorduras vegetais são, geralmente, insaturadas, enquanto as animais são saturadas.
• O ômega-3, encontrado no óleo de peixe, é uma gordura líquida duas vezes mais insaturada do que as vegetais.
• A ingestão de gorduras insaturadas, segundo inúmeros estudos, reduz o colesterol no sangue, aumenta o colesterol bom (HDL) e reduz a incidência de infarto, derrame, doenças das artérias e alguns tipos de câncer.
• Abacate, nozes, castanhas e amêndoas também contêm gorduras insaturadas saudáveis.
• Mas, cuidado! O processamento dos alimentos pode transformar produtos poliinsaturados em saturados. É o caso das frituras de óleos vegetais por longo tempo em altas temperaturas. Ao esfriar tornam-se sólidos, e quimicamente semelhantes à banha animal.

Trecho do livro “Pílulas para prolongar a juventude” de Fernando A. Lucchese